16
Dom, Dez

ateoultimohomenO Oscar 2017 tinha entre os 62 indicados nas diversas categorias, dois filmes que contavam histórias ligadas a cristãos: Até o Último Homem, dirigido por Mel Gibson; e Silêncio, dirigido por Martin Scorcese. O primeiro, indicado em seis categorias, levou duas estatuetas.

O filme Até o Último Homem foi premiado com dois Oscar, em categorias técnicas, o que mostra a grande qualidade de produção empenhada pelo diretor Mel Gibson no projeto. Os profissionais Kevin O’Connell, Andy Wright, Robert Mckenzie e Peter Grace foram responsáveis pela Melhor Mixagem de Som.

O segundo prêmio recebido por Até o Último Homem no Oscar 2017 foi Melhor Montagem, categoria que avalia como as cenas são colocadas no filme e sua contribuição para que a história narrada seja melhor contada.

103918.jpg c 215 290 x f jpg q x xxyxxJá o filme Silêncio, que tinha uma indicação a Melhor Fotografia, não foi vencedor. O multipremiado La La Land venceu esta categoria.

Silêncio conta a história real de perseguição religiosa a dois padres jesuítas portugueses, que se mudaram para o Japão no século XVII à procura de seu mentor, o padre Ferreira (Liam Neeson), feito prisioneiro pelos japoneses da era feudal.

O impacto do personagem padre Ferreira no ator Liam Neeson mudou sua forma de ver a fé: “Você estabelece um relacionamento com Cristo através dos Evangelhos, de modo que, em última instância, Cristo se torna seu irmão, alguém com quem conversa regularmente, todos os dias, ao longo do dia”, disse.

O ator revelou que precisou aprender alguns costumes da tradição jesuíta para poder assumir o papel e com isso viu o quanto o amor de Deus é algo mais íntimo do que imaginava: “Se Deus fosse um mestre severo, eu teria desistido da fé há muito tempo. Deus é amor, amor é Deus. Eu tive experiências pessoais do amor de Deus, linda e tranquilizadora, como todas as coisas que os Salmos falam”, concluiu.

 

A confusão

A cerimônia de entrega do Oscar 2017 foi marcada por uma confusão na entrega do principal prêmio da noite, o de Melhor Filme. Os apresentadores Warren Beatty e Faye Dunaway receberam o cartão errado, e anunciaram um filme diferente do correto como vencedor.

A equipe de produção do Oscar produz cartões duplicados para cada vencedor como forma de prevenir perdas. Depois de anunciarem o prêmio de Melhor Atriz, entregue a Emma Stone, o cartão reserva, ao invés de ser descartado, foi entregue a Beatty e Dunaway como sendo o referente a Melhor Filme.

A dupla percebeu que havia algo errado, mas anunciou o nome do filme que estava no envelope: “La La Land“. A equipe de produção percebeu o erro, mas já era tarde. Somente quando os produtores do longa-metragem já estavam fazendo os agradecimentos, é que o filme correto foi anunciado: “Moonlight“.

“Eu quero contar o que aconteceu. Abri o envelope e dizia ‘Emma Stone, La la land’. Por isso que eu dei uma olhada tão demorada a Faye e a você. Eu não estava tentando ser engraçado”, explicou o apresentador Warren Beatty, segundo informações do G1.

A rede social Facebook pediu desculpas formalmente por ter suspendido a conta de uma blogueira cristã que postou versículos bíblicos condenando a homossexualidade.

Elizabeth Johnson, mais conhecida como “Activist Mommy”, é mãe de 10 filhos e escreve regularmente sobre família. Recentemente teve sua conta do Facebook bloqueada, acusada de propagar “discurso de ódio” nas redes.

Ela havia postado versículos dos livros de Levítico e de Romanos que tratam sobre a prática homossexual. Aparentemente, o termo “abominação” foi identificado pelo algoritmo como algo que fere os termos de serviço da rede social.

Johnson reclamou que o Facebook apagou suas postagens e suspendeu sua conta em três ocasiões distintas. Ela contatou sites cristãos em língua inglesa e logo o assunto ganhou projeção.

“Eles estão amordaçando a mim e a mensagem bíblica, enquanto Mark Zuckerberg afirma que o FB é imparcial”, disse ela em um comunicado que recebeu grande apoio da comunidade cristã norte-americana. “O post que o Facebook excluiu não incluía palavrões nem ameaças, e muito menos assédio. Era uma discussão intelectual, com comentários sobre a Bíblia”.

Agora, o Facebook resolveu se desculpar oficialmente. Ele reativou a conta de Johnson depois de ser atacado pela mídia conservadora. Um porta-voz da empresa disse que o site suspendeu a conta por engano.

“O post foi removido por engano e nós o restauramos assim que fizemos uma investigação”, afirma o porta-voz em um e-mail enviado à blogueira, que ela reproduziu. “Nossa equipe recebe milhões de denúncias por semana e às vezes fazemos coisas erradas. Lamentamos qualquer inconveniente que isso possa ter causado”, termina a nota divulgada pela CBN.

Apesar de ter aceitado o pedido de desculpas do Facebook, Johnson acredita que há algo mais por trás disso. “Dizer que foi um acidente é piada! Eles me enviaram cópia do post e disseram especificamente que violava os padrões da comunidade. Eles agora estão dizendo que fizeram isso e me proibiram de usar a rede por 10 dias acidentalmente? Não! Foi preciso que isso se tornasse uma notícia de alcance nacional para eu recuperar o acesso à minha página. E quantos usuários do Facebook que não tem esse luxo? “, questiona ela.

Agora, Johnson disse que vai denunciar outros exemplos de cristãos censurados pelo Facebook. Contou que nos últimos dias recebeu muitas mensagens, prints de tela e e-mails provando que o “sistema de filtragem” do Facebook está punindo material de páginas conservadoras e cristãs.

Ela afirma que Zuckerberg está se aproveitando da popularidade da rede que criou para “promover sua agenda política, religiosa e globalista pessoal”. Encerrou dizendo que o Facebook pode se transformar em “uma arma ideológica que pune com suspensões e exclusões os que não se submetem a seus ideais”.

A Livraria Evangélica Jardim, localizada no Centro de Curitiba, foi assaltada essa semana. Um homem armado invadiu o local, mas algo inesperado aconteceu dentro da loja durante o crime. O suspeito ganhou uma Bíblia de presente de um funcionário. Emocionado, o abraçou e ainda pediu perdão.

“Ele diz que tem que pagar as dívidas com traficantes. Hoje entreguei uma Bíblia pra ele, demos um abraço e falei que ia orar para ele sair desta. Nós falamos que ele sairia desta e o rapaz parecia emocionado. Então ele acabou indo embora sem levar nada da gente”, conta um funcionário, que não teve seu nome divulgado.

O assaltante é conhecido na região por ser usuário de drogas. Agora ele poderá receber ajuda, mas na cadeia. Após desistir do assalto à livraria, tentou roubar outro estabelecimento e acabou preso.

A tenente Thaislainy, da Polícia Militar, relata: “Encontramos com o suspeito, que foi abordado após o assalto, uma arma de brinquedo. Ele já tem passagens pela polícia e permanece detido”. Encaminhado ao 1° Distrito Policial, foi constatado que ele esteve recentemente em uma casa de reabilitação, mas aparentemente não superou o vício das drogas.

A Sociedade Bíblica do Brasil (SBB) completou, este ano, 150 milhões de Bíblias produzidas no país desde o ano de 1995. A medição se deve a inauguração da Gráfica da Bíblia, um dos maiores espaços de confecção do livro no mundo.

O diretor executivo da instituição, Rudi Zimmer, afirma que o engajamento das igrejas brasileiras é o principal motivo para o alcance da marca. Ainda, destacou o fato do Brasil ser um país de grande exportação de missionários para outros continentes e respectivos países.

“Nas últimas décadas, mais do que em qualquer outro período, as igrejas brasileiras têm se envolvido de forma crescente com esta divulgação, transformando o Brasil no país em que se realiza a maior operação de distribuição das Escrituras Sagradas no mundo, atualmente”, afirmou Rudi.

Apesar dos números satisfatórios, o diretor acredita que existem questões contrárias a analisar, perante a situação atual do país. “No Brasil, estamos passando por uma crise política, social e econômica que também afeta bastante a semeadura da Palavra de Deus”.

Gráfica da Bíblia
A Gráfica da Bíblia, inaugurada no ano de 1995, emprega mais de 200 pessoas e exporta cerca de 20% de sua produção a países da América, África, Ásia e Europa. Além da larga escala de produção, a instituição também produz material adaptado para pessoas com deficiência.

“Ela é um dos dois maiores centros de produção de Escrituras do mundo, e os 150 milhões de Bíblias e Novos Testamentos produzidos vêm confirmar essa posição de destaque mundial”, destacou o secretário da Gráfica da Bíblia, Luiz Forlim.

O secretário de Tradução e Publicações da SBB, Paulo Teixeira, acredita que é fundamental pensar no alcance de um público heterogêneo. “Traduzir, publicar e distribuir a Bíblia é permitir que a mensagem de vida que há em Jesus alcance todas as pessoas em nosso país”, finalizou.

Mais Artigos...