20
Dom, Jan

Todos os dias esse versículo é postado nas redes sociais de muitas e muitas moças… Moças ansiosas pelo casamento se apropriam desse versículo na intenção de dizer: ‘sou aprovada, sou virtuosa, me encontre’.

Foto: Artur VitorHoje, relendo essa passagem, e não o versículo isoladamente, me preocupo com o conceito de virtuosa que temos encontrado por aí…

Virtuosa é aquela pessoa que pratica o bem e se conforma com o que é considerado correto e desejável; que tem o caráter inspirador; casta e honesta.

O versículo 10 termina nos questionando sobre quem a achará. Isso nos leva a concluir que a mulher virtuosa não é encontrada em qualquer esquina. Como um tesouro, ela é algo bem difícil de se encontrar e conquistar.

Dos versículos 11 a 31 do provérbio, vimos que a mulher dita virtuosa personifica a sabedoria no lar, na comunidade e nos relacionamentos.

Ela é rara. Ela é uma mulher digna de confiança e jamais desonrará o nome do seu marido. Ela tem um compromisso eterno com ele (versículo 12).

Quer ela desempenhasse as tarefas do lar, quer supervisionasse enquanto outros faziam, ela administrava muito bem sua casa e suas finanças (versículos 13-15).
Todos olhavam para o seu marido e pensavam ‘que cara bem cuidado! Este aí tem uma mulher de valor’.

Ela é uma mulher que confia em Deus e não nutre preocupações com o amanhã.

Me pergunto se aquelas que se apropriam do versículo 10 do provérbio sabem da responsabilidade que os versículos seguintes trazem.

A mulher virtuosa faz coisas que as moças de hoje não querem fazer. A mulher virtuosa está bem guardada, esperando ser encontrada. É disciplinada e aprende em sua “solteirice” como cuidar dos seus e administrar seu lar.

O segredo para tudo que ela se tornou é bastante claro: ela temeu ao Senhor (versículos 30-31).

Antes, somente, de pensarmos em casamento, que ela seja o tipo de esposa que buscamos ser e o tipo de mulher que os rapazes procuram para se casar.

Um tipo muito comum de conflito que os adolescentes passam é o questionamento. A adolescência é marcada por um período de questionamentos. É nessa fase da vida que as perguntas aparecem e que geram tantas polêmicas e conflitos.


Foto: pixabay.comNesse momento eles começam a ter muitas crises com os pais e os líderes. E alguns destes acabam não conseguindo lidar com os questionamentos.


Gostaria de sugerir algumas dicas importantes, que acredito serem um caminho equilibrado para lidar com os questionamentos de um adolescente:


• Elimine os rótulos: nem toda forma de pergunta ou de ideia contraria é rebeldia ou desrespeito. Separe uma atitude da outra;
• Não se assuste imediatamente com os questionamentos. É muito comum ouvir indagações a respeito da fé, dos limites, da Bíblia, das regras colocadas pelos pais, líderes, ou do sistema em geral;
• Seja um pouco compreensivo com a fase que o adolescente está vivendo. Todo ser humano, de modo geral, a partir dos 12 anos, começa a buscar suas próprias convicções, desejam ter independência e querem romper com o rótulo de que ainda são crianças;
• Não reaja imediatamente diante do questionamento;
• Caso os ânimos se alterarem, se acalme, pergunte ao adolescente por que ele agiu assim;
• Na conversa, procure não agir tentando mostrar que tem autoridade;
• Não deixe de conversar sobre o assunto depois do questionamento. Isso será uma ótima oportunidade para que você possa apresentar observações sobre o mesmo;
• Busque responder às perguntas, mesmo que ele (a) não se satisfaça com a resposta. Dê sua opinião.
• Demonstre em toda conversa amor e disposição para ajudá-lo (a).
• Essas atitudes são importantes para que possamos diminuir os conflitos e ver os adolescentes passando por essa fase sem ter tantos traumas.


[Site nopapocabeca.com]

Página 3 de 3
Cadastre o seu e-mail para receber informações e novidades sobre o nosso portal.