06
Sex, Dez

Educação
Fontes

E Deus os abençoou, e Deus lhes disse: Frutificai e multiplicai-vos, e enchei a terra, e sujeitai-a; e dominai sobre os peixes do mar e sobre as aves dos céus, e sobre todo o animal que se move sobre a terra. Gênesis 1:28
Observamos que logo depois de ter criado toda a criação, o Senhor Deus, criou o homem. Nos registros anteriores, percebemos que este ganha certa importância na criação, pois deverá gerenciá-la, estando logo abaixo do Criador na cadeia de comando.
Grande poder de fato foi dado ao homem, mas como todo grande poder, isso requer dele enorme responsabilidade no cumprimento de seus papéis. No ambiente do lar isso não muda, o homem continua exercendo papel de subgerente da criação, mas agora não só este oficio está sobre seus ombros, mas também deverá, como sacerdote, apresentar em seu lar honrado diante do Altíssimo.
Ser o príncipe do lar, é de fato uma posição de honra e destaque, mas o verdadeiro homem, não usa isso como justificativa para fazer com que ele seja o centro do lar, tendo de ser servido por todos (esposa e filhos), muito pelo contrário, agora muito mais do que os que estão sob seus cuidados ele deve trabalhar exaustivamente para que tudo ocorra segundo os princípios estabelecidos pelo Reluzente.
Nossa sociedade tem o vicioso costume de distorcer princípios, o que não é nenhuma surpresa, pois sabemos que isso é efeito da ação do pecado no homem. Umas destas distorções acontece quando se olha para o conceito de família e até do homem (espécie) que o mundo têm. Para uma ala crescente da sociedade, homem e mulher devem ser iguais, sem que um exerça liderança ou domínio sobre o outro. Para esse grupo, os papéis do primeiro podem, sem qualquer problema, ser executado pelo segundo.
Outra distorção é quanto a formação da família. A noção homem + mulher = família, vem sendo brutalmente atacada, sendo disseminado o diabólico conceito de que família na verdade é um indivíduo que ama outro indivíduo, estando esta junção livre de requisitos de gênero em sua formação.
Ainda uma outra afronta há que se confronte com o padrão bíblico, a cultura dos “homeninos”. Homens que não são construídos sobre princípios de responsabilidade, equilíbrio, integridade, esforço, cada vez mais ocupam espaço na sociedade. Homens que não exercer suas funções com qualidade, mas preferem se acovardar das responsabilidades do trabalho, da gerência de uma lar, e querem apenas obter dinheiro para gastar em festas, onde se relacionam despretensiosamente com quantas “mulheres” puder.
Além disso, gastam toda a vida em programas que não traz nenhum aprimoramento a sua masculinidade e valores que estão atrelados a mesma, perdem tempo com videogames, futebol, não que essas atividades em si sejam ruins, mas tais homens as praticam como fuga da realidade carregada de obrigações, até porque não estão qualificados para tal.
O cetro foi concedido ao homem para que o mesmo pudesse administrar toda a criação em harmonia para uma adoração ao Soberano, através do bom funcionamento da mesma, exatamente como o próprio Criador o fez. De forma alguma isso deve fomentar algum tipo de vaidade ou orgulho, pois o não somos soberanos como é apenas o Reluzente, devemos com humildade exercer nosso papel na criação.
Ensinar nossas esposas a lei de Deus, e exortá-las com todo amor e carinho, para que ela tema e trema diante do Rei, e assim o obedeça. Educar nossos filhos nos caminhos do Mestre, usando de empenho e reverência, para que os mesmo aprendam que a lei do Senhor é boa, e possam caminhar conforme ela.
O totalitarismo exercido no lar, em hipótese alguma se adéqua ao pensamento do criador para a família. O cetro é uma ferramenta, não apenas um símbolo. Um homem segundo o coração de Deus, deve se sacrificar pelo bom andamento do seu lar. Ainda que custe gotas de sangue, ou mesmo sua vida, ele foi nomeado pelo Reluzente para edificar seu lar sob o que fala as escrituras, e por elas, deve instruir cada membro de sua casa e amar o Senhor Deus de todo coração, de toda alma, com todas as forças.
Não há regalias no oficio de rei do lar operado pelo homem. Com isso, também não é queremos dizer que somente há sofrimento e árduo trabalho atrelado ao papel do homem, no entanto o prazer do homem deve ser a edificação do seu lar, segundo o princípio bíblico. O cetro é pesado, mas o homem bíblico deve sentir alegria ao carregá-lo, pois para isso ele fora incumbido, para promover a harmonia de sua casa em adoração ao Criador.
Cristo triunfa!

BLOG COMMENTS POWERED BY DISQUS
Cadastre o seu e-mail para receber informações e novidades sobre o nosso portal.