23
Seg, Out

Últimos Artigos

23 de junho de 2017

Leitura Bíblica: Salmo 119.9-16

Guardei no coração a tua palavra para não pecar contra ti (Sl 119.11).

Nesta conversa com Deus, o salmista declara o inestimável valor de conhecer e decorar a Palavra de Deus. É sua principal arma contra a força da tentação.

Tiago, meio-irmão de Jesus, esclarece que esta tentação emana do mau desejo capaz de arrastar e seduzir o coração humano. Isso resulta no pecado (aquilo que desagrada a Deus) que, uma vez consumado, gera a morte (Tg 1.14-15). Assim como o corpo humano luta constantemente contra os tóxicos que ameaçam sua vida, filtrando o sangue pelos rins e o ar pelo nariz e pulmões, o cristão se protege contra o pecado meditando na Bíblia e memorizando seus textos. Não há melhor proteção contra as ciladas de Satanás do que a fé firmada na Palavra inspirada por Deus. Foi assim que Jesus venceu as tentações no deserto da Judeia (Mt 4.1-11; Mc 1.12-13 e Lc 4.1-13).

A vitória eficaz sobre a tentação depende de dois princípios: a ação do Espírito Santo (que utiliza a verdade bíblica para vencer o pecado) é essencial; além disso, é necessário conhecer a Palavra. Diz o apóstolo Paulo: “Se vocês viverem de acordo com a carne, morrerão; mas, se pelo Espírito fizerem morrer os atos do corpo, viverão” (Rm 8.13).

O autor de Hebreus declara solenemente que “sem santidade ninguém verá o Senhor” (12.14b). Cristãos que imaginam poder trilhar o caminho da santificação sem ler ou meditar na Palavra, ou que apenas com o esforço próprio vencerão as tentações que continuamente estão assediando seu coração, estão redondamente enganados. O salmista sabe melhor. O cristão, guardando a Palavra de Deus no coração e buscando o poder do Espírito pela oração, tem a melhor chance de alcançar a vitória. O caro leitor está convencido de que o relacionamento com Deus por meio da Palavra inspirada é o caminho mais seguro para vencer a tentação? – RS

Palavra e Espírito Santo no coração: o melhor produto no melhor lugar para o melhor propósito!

22 de junho de 2017

Leitura Bíblica: Filipenses 3.16-19

Tu, porém, sê sóbrio em todas as coisas, suporta as afeições, faze o trabalho de um evangelista, cumpre cabalmente o teu ministério (2Tm 4.5, ara).

Temos um grande desafio: imitar Deus no mundo atual. Ser diferentes da maioria. Hoje muitos valorizam mais as coisas do que a vida humana. É mais comum ver pessoas impacientes do que tolerantes. Gente que tem muitas posses e está cada vez mais insatisfeita. Pessoas mais cultas, mas mesmo assim menos sábias. Um mundo de extravagâncias e exageros, mas de menos fé e piedade. Olhar para um mundo assim causa tristeza, ficamos decepcionados com a atitude de muita gente. Nessa hora, no lugar do desânimo com o gênero humano, devemos lembrar que Cristo se entregou por nós a fim de nos remir dessa maldade. Em um mundo que perdeu seus valores, temos de renunciar à impiedade e viver de maneira sensata e piedosa, dedicando-nos à prática das boas obras.

“Quando entrarem na terra que o Senhor, o seu Deus, lhes dá, não procurem imitar as coisas repugnantes que as nações de lá praticam” (Dt 18.9). Frase muito pertinente para ser usada hoje: não procure imitar as coisas repugnantes que as nações praticam.

Veja comigo algumas das características da nossa época que mais nos afetam. O colapso das crenças – há uma descrença de tudo que se afirmava até agora: autoridades, instituições, família, governo, igrejas. A busca de novidades exóticas. Necessidade de chocar, escandalizar, aparecer, rejeitar os padrões. Um estilo individualista, hedonista e narcisista. Viver em função do prazer, em busca do que é agradável, olhando mais para si que para o mundo.

Ao viver em um mundo assim, convém lembrar as duas palavrinhas que Paulo diz a Timóteo: “Tu, porém”. Temos um grande desafio! É preciso saber como servir a Deus no tempo em que estamos inseridos! Para isso temos de segui-lo sem nos desviar do seu caminho e viver de acordo com o que temos aprendido como cidadãos dos céus que aguardam a vinda de Jesus. – HSG

Nossa luta é viver piedosamente, influenciar e não ser influenciados.

21 de junho de 2017

Leitura Bíblica: Lucas 23.1-25

Pensem nisto, pois: Quem sabe que deve fazer o bem e não o faz, comete pecado (Tg 4.17).

Pilatos era o governador da província romana da Judeia, a autoridade política encarregada de julgar um eventual crime de Jesus. Pilatos fez pelo menos quatro tentativas de livrar-se da culpa de crucificar um homem a quem considerava inocente. Primeiro tentou transferi-lo de jurisdição, já que Jesus era galileu. Segundo, propôs apenas castigá-lo e depois soltá-lo. Terceiro, apresentou um prisioneiro alternativo com uma ficha criminal terrível. Por último, declarou seu veredicto: “Este homem é inocente; portanto, agora lavo minhas mãos e a responsabilidade é toda de vocês”.

A postura de Pilatos é um exemplo de terceirização da responsabilidade pela culpa. Como se, diante de um ato injusto, lavar as mãos nos isentasse da culpa. Tiago diz no versículo em destaque que a omissão da prática do bem é tão grave quanto praticar o mal. Ou seja, devemos tomar partido pela justiça, comprometer nossas conveniências, sacrificar nossos privilégios e até colocar a vida em risco em favor da justiça.

Pilatos foi semelhante ao camaleão que vive de suas habilidades de mudar de cor para se alimentar ou se proteger de seus predadores. Será que abrimos mão de valores eternos e nos adaptamos aos padrões deste mundo para garantir que não soframos determinadas perdas ou para preservar nosso status? O apóstolo Paulo ensina em Romanos 6.19 que, se antes nosso corpo entregue ao pecado servia para injustiça, agora, consagrados a Deus, devemos oferecê-lo para a justiça.

Um modelo melhor que o camaleão é a borboleta que, com paciência e dedicação, suporta as semanas como pupa mesmo padecendo apertos e dificuldades dentro da crisálida, porque sabe que aquilo é necessário para se transformar numa borboleta com vigor e beleza, pronta para voar. – RF

Qual a sua escolha: amoldar-se ou transformar-se?

20 de junho de 2017

Leitura Bíblica: Lucas 1.26-37

Nada é impossível para Deus (Lc 1.37).

Neste texto vemos duas situações impossíveis se concretizando. Uma virgem engravida e uma mulher idosa e estéril também. Nota-se que realizar isso não é impossível para Deus. Afinal, ele é o Deus todo-poderoso, e nada é difícil demais para ele. Se voltarmos bem ao início de tudo, vamos entender melhor:

Deus nos criou, e a humanidade vivia em comunhão com ele. Tínhamos livre acesso à sua presença. Mas quando o homem se rebelou contra Deus, o pecado entrou no mundo e nosso relacionamento com Deus foi interrompido, porque Deus é santo, totalmente puro, e nós pecadores não podemos nos relacionar com ele. Um abismo intransponível passou a existir entre a humanidade e Deus.

Então Deus fez o que verdadeiramente era impossível: providenciou o caminho para podermos passar e chegar novamente à sua presença. Esse caminho é o próprio Filho de Deus, Jesus Cristo.

Deus enviou seu Filho para nascer como ser humano, sem deixar de ser Deus, para que ele recebesse a condenação pelos nossos pecados. E nem as impossibilidades humanas foram empecilhos para Deus executar seu plano de salvação. João Batista, que veio preparar o caminho de Jesus, pregando o arrependimento dos pecados, é filho de Isabel, que era estéril e engravidou quando já estava idosa. E Jesus, o Salvador, é filho de uma virgem que estava prometida em casamento a um carpinteiro.

Deus não poupou esforços para tornar possível aquilo que era impossível: o perdão dos nossos pecados e a restauração da nossa comunhão com ele. Se crermos, temos a vida eterna com Deus. Para isso você precisa arrepender-se da sua rebeldia contra Deus, pedir-lhe perdão e deixar que Jesus seja o Senhor da sua vida. Lendo a Bíblia você vai descobrir a vontade de Deus, conhecer seu grande amor e contar com seu auxílio para as situações do seu dia a dia, por mais impossíveis que pareçam. – ADH

O que verdadeiramente era impossível, Deus realizou: restaurou a nossa comunhão com ele.

 

19 de junho de 2017

Leitura Bíblica: Eclesiastes 10.1-3

Aquele que julga estar firme, cuide-se para que não caia! (1Co 10.12)

O livro de Eclesiastes diz muitas coisas a respeito da sabedoria. Em especial o capítulo 10 traz grandes ensinamentos a respeito de como viver uma vida sábia. Para falar sobre isso, ele começa fazendo um alerta: uma pequena insensatez tem mais impacto que muita sabedoria e honra. Você pode construir um bom nome ao longo de vários anos por suas atitudes sábias, mas basta uma pequena insensatez para que tudo venha a desmoronar. Para explicar isso, o autor do texto lido oferece uma comparação logo no primeiro versículo, em que fala sobre como uma mosca morta é capaz de estragar um vidro de perfume.

Sabedoria é sinônimo de poder. Sua força é maior do que armas de guerra, seu valor maior que o do dinheiro, mas pode ser destruída por um pequeno deslize, uma pequena insensatez. Este mesmo princípio é ensinado no Novo Testamento quando diz que um pouco de fermento leveda toda a massa (1Co 5.6).

Da mesma maneira que não custa muito estragar um bom unguento, também não custa muito arruinar um bom nome. Insensatez pesa. A ideia de “peso” aponta para a importância de algo. Uma pequena insensatez tem mais impacto que muita sabedoria e honra. Isso nos faz lembrar o que diz Paulo no versículo em destaque: aquele que pensa estar de pé tenha cuidado. Sempre precisamos ter humildade. Quem se sente muito seguro pode estar a caminho da soberba e, consequentemente, perto da queda. A humildade antecede a honra. Só quando nos mantemos humildes e constantemente buscando a sabedoria podemos permanecer firmes no caminho de Deus.

Viver com sabedoria não é uma tarefa fácil. Requer habilidade e dependência de Deus. Isso só poderá acontecer na vida daquele que segue cada dia no temor do Senhor. – HSG

Faça sempre o que você sabe que deve ser feito, seguindo os princípios de Deus.

 

18 de junho de 2017

Leitura Bíblica: Juízes 15.1-17

Amem os seus inimigos, façam o bem aos que os odeiam, abençoem os que os amaldiçoam, orem por aqueles que os maltratam (Lc 6.27b-28).

Sansão foi escolhido por Deus para uma missão especial: libertar seu povo do domínio filisteu. Mas ele vivia “enfiando os pés pelas mãos”. Esquecia seu compromisso com Deus e insistia em buscar soluções próprias para seus problemas. Deus dotara-o de uma força descomunal – um perfeito super-herói para os israelitas perseguidos pelos seus inimigos. Mas seu temperamento era igualmente forte: na leitura de hoje, vimos que era vingativo e desproporcional nas suas reações. Era tão violento na forma como lidava com a oposição que seu próprio povo resolveu entregá-lo ao inimigo, por discordar de suas ações (v 11-13). O fato de Deus ainda assim usá-lo para livrar os israelitas deste inimigo era pura graça do Senhor.

Na hora de analisar a nossa vida com honestidade é preciso fazer perguntas difíceis: como é a minha reação quando sou injustiçado? Quando alguém corta minha frente no trânsito? Quando o chefe leva o crédito pelo meu trabalho? Quando o professor me castiga, mesmo que eu não seja culpado pela bagunça na classe? Quem não se defende ainda acaba passando por “covarde”. A proposta de Jesus para essas situações é muito estranha: abra mão dos seus direitos e presenteie o inimigo (versículo em destaque). É o que chamamos de mansidão. Isso só é possível porque o Senhor nos deu este exemplo na cruz, por não insistir em seu direito como Filho de Deus e aceitar morrer por mim e por você (Fp 2.6-8).

Certa mulher aguardava na fila para comprar um café. Ouviu atrás de si duas outras mulheres fazendo comentários maldosos sobre sua forma física um tanto fora do padrão. Quando chegou sua vez de fazer o pedido, a mulher pagou também o café das duas senhoras que vinham atrás dela e saiu, deixando ainda um “bom dia” simpático para elas. Isso é ser manso. Vamos tentar? – DK

Quando você é prejudicado, qual é sua reação: vingar-se ou presentear o “ofensor”?

17 de junho de 2017

Leitura Bíblica: Mateus 27.13-18

O amor é paciente, o amor é bondoso. Não inveja, não se vangloria, não se orgulha (1Co 13.4).

A questão da inveja rendeu algumas páginas da Bíblia. A inveja é um sentimento que desde o princípio trouxe muitas turbulências à vida de homens e mulheres de Deus. Abel foi morto por seu irmão Caim porque este invejava aquele (Gn 4.4-5). Ismael caçoava de seu irmão mais novo, Isaque, porque o invejava (Gn 21.9). José foi perseguido e vendido pelos seus irmãos porque estes invejavam os seus sonhos (Gn 37.19). Daniel foi jogado na cova dos leões porque seus companheiros políticos invejavam seu relacionamento com o rei (Dn 6.16). E, entre outras histórias bíblicas em que a inveja gerou transtornos, pelo menos dois relatos do evangelho registram que o próprio Senhor foi entregue pelos judeus, para ser crucificado, por motivo de inveja (Mt 27.18; Mc 15.10).

O que todas estas histórias sobre a inveja têm em comum? Entre outras coisas, que a inveja não altera em nada os planos de Deus. E sempre é melhor ser invejado que invejoso. Ser invejado é sinal de que tenho algo que outro não tem. Invejar, porém, é claro sinal de insatisfação com a própria vida e com o Senhor, o autor da vida. Ser invejado pode trazer situações difíceis no meio do caminho, mas deixar-se dominar pela inveja é ruína certa. Por isso, o Senhor pôde deixar a seguinte mensagem aos seus discípulos: se você é perseguido por causa da inveja de outros, não se defenda, antes silencie e encha-se de alegria, pois assim perseguiram os profetas que viveram antes de vocês (Mt 5.11-12). Cuidem para que a inveja não tome conta do coração de vocês. Sejam humildes, reconheçam este sentimento diante do Pai enquanto ainda está no começo, e conseguirão dominá-lo (Gn 4.6-7). Jamais se comparem com outros. Vocês são criação única, singular (Sl 139). E, como vacina contra a inveja, agrade-se do Senhor, e ele satisfará os desejos do seu coração (Sl 37.4). – ALS

O coração em paz dá vida ao corpo, mas a inveja apodrece os ossos (Pv 14.30).

16 de junho de 2017

Leitura Bíblica: Salmo 59.1-17

O Senhor está perto de todos os que o invocam; de todos os que o invocam com sinceridade (Sl 145.18).

Davi está encurralado dentro de sua própria casa. Vê o cerco se fechando com a aproximação dos inimigos, que pensam que ninguém os está escutando ou enxergando. Mas, ao ler o salmo, percebe-se que Davi tem plena convicção de que Deus o ouve e vê. No fim de sua oração, ele chega a cantar a força e a misericórdia do Senhor – parece até que está tendo um vislumbre da intervenção poderosa de Deus!

Como Davi podia reagir e orar assim? Onde adquiriu tal confiança? Como desenvolveu tamanha certeza, a ponto de ter segurança e coragem, força e paz numa situação tão aflitiva? E mais: será que nós podemos (re)agir assim também?

Davi andava com o Senhor e tinha um relacionamento pessoal, permanente e profundo com ele. Assim, sabia que Deus é tudo de que precisava! Sua confiança vinha dessa experiência diária com a presença e a proteção do Senhor. No meio da dificuldade, Davi parecia ter olhos abertos para o que Deus estava fazendo. A maneira como ele orava nos ensina que Deus não pode ser uma ideia abstrata, uma opção de atividade no domingo, um consolo só nas horas difíceis, uma obrigação religiosa qualquer, uma tradição herdada ou uma energia manipulável pela nossa consciência… Não! Deus é a fonte pessoal e inesgotável que dá sentido e significado à nossa existência. Era assim com Davi, e pode ser assim conosco. Invista em sua vida de oração. Cultive seu tempo com Deus. Tire seus olhos das circunstâncias e volte-os para o Senhor. Orar é colocar Deus no foco. Aprenda a conhecê-lo e reconhecê-lo em cada situação da vida. Ele ouve! Ele vê! Ele está perto quando o invocamos com confiança (versículo em destaque). Vida de oração e oração na vida podem significar a diferença entre manter-se firme na hora da aflição ou sucumbir diante das adversidades. – HOM

Orar é colocar Deus no foco. É aprender a conhecê-lo! É experimentá-lo no dia a dia!

15 de junho de 2017

Leitura Bíblica: 1 Pedro 4.7-11

Digo-lhes a verdade: o que vocês fizeram a algum dos meus menores irmãos, a mim o fizeram (Mt 25.40).

Definitivamente não sabemos o dia em que nosso Senhor voltará a este mundo para buscar aqueles que nele creram. Pedro afirma que o fim de todas as coisas está próximo. É certo que o tempo entre essa declaração e o momento em que você lê esta mensagem é muito longo, pelo menos para nós, que vivemos apenas uma pequena fração desse período. Contudo, também não importa se o fim ainda demorará algumas gerações ou se virá enquanto ainda estivermos vivos. O mais importante é que o dia da volta do Senhor Jesus chegará.

E como não sabemos o dia nem a hora, importa estar sempre preparado. Também precisamos lembrar que podemos deixar de viver neste mundo a qualquer instante, num piscar de olhos. E quem conhece o Senhor Jesus dificilmente desejará viver ao seu lado somente na glória. Há alegria e paz enorme em viver com ele aqui e agora.

Mas quero enfatizar algo diferente nesta mensagem. Como devo viver neste mundo enquanto aguardo a volta de Jesus? Se você conhece um pouco da Bíblia, vai entender que os ensinos da Palavra de Deus vão na contramão do que experimentamos em nosso mundo. Somos ensinados a não viver em nosso próprio benefício, na individualidade ou no egoísmo. Assim como Jesus nos serviu com sua morte em nosso favor, abrindo mão de si mesmo, somos convidados a servir ao nosso próximo. Pedro diz: “Cada um exerça o dom que recebeu para servir os outros”. Servindo aos outros, especialmente aos nossos irmãos, servimos ao próprio Senhor. Quero motivá-lo a olhar para além de si mesmo. Não viva apenas em função de si mesmo. Há muita gente precisando do seu serviço. Não faltam oportunidades para você ajudar e mostrar amor pelo seu irmão. Você não sabe quanto tempo ainda terá, e por isso é bom se apressar. Não deixe para amanhã o que você pode fazer hoje. – MP

Vamos fazer bom uso do bem que recebemos de Deus?

Facebook

Publicidade Google

Últimas Noticias

Mais um Congresso, o 4º do Setiel (Seminário Teológico Nas Igrejas Evangélicas Livres). O tema foi bastante provocante: Esgotamento Ministerial. Você participaria de um congresso que falasse sobre a possibilidade ou até realidade de um esgotamento em sua vida?

Pois é, 125 pessoas (pastores e presbíteros = 56, mais missionários e cônjuges), aceitaram o desafio de ouvir e refletir sobre seu ministério na igreja do Senhor e o impacto que isso tem em sua vida familiar e pessoal.

Fomos ministrados por dois casais do Ministério Oasis que se dedica especificamente à restauração de pastores, missionários e líderes cristãos esgotados. Eles compartilharam sobre sua atuação nessa área tendo investido em mais de 1000 pastores e líderes. Uma realidade presente nas mais diferentes denominações. Houve oportunidade para abrir o coração e buscar ajuda. Uma pessoa desabafou de forma anônima e recebeu da liderança de nossa Convenção a garantia de que dariam todo apoio para que recebesse o cuidado necessário para sua restauração.

Um outro lado muito importante e bom do Congresso é o encontro com pessoas de todas as regiões do Brasil. A participação de nossos irmãos do Nordeste foi muito marcante. Ver que vieram de tão longe para ter comunhão com os demais foi gratificante. A distância de Pelotas-RS até o Norte (Envira-AM) é de 4600 km (3.200 em linha reta no mapa). Mas, nada que o amor não supere e promova uma unidade incrível.
Além do Congresso tivemos também as reuniões oficiais, as Assembleias Gerais Ordinárias (AGOs) . Da AMEL (Associação Missionária Evangélica Livre) e da CIELB (Convenção das Igrejas Evangélicas Livres no Brasil). Na AMEL conhecemos e aprovamos mais um projeto missionário: Marinaha – Envira – Amazonas – Brasil. Uma parceria com a Allianz Mission (Alemanha) para que a etnia Kulina possa ouvir do amor de Jesus através de vários meios, principalmente pelo apoio aos jovens que se mudam para regiões urbanas. Foi bom também ver os vídeos de nossos missionários na África, Portugal e Haiti.

Na AGO da CIELB tivemos ordenação pastoral de Tiago, Samuel e Moacir de Pernambuco. Jovens pastores que fazem um grande trabalho na região.

A noite de testemunhos e abertura de coração foi muito marcante. Alguns agradeceram o cuidado de Deus, outros pediram oração. Quem também aproveitou para compartilhar foi o Pr. Dimas que está entregando a liderança do SETIEL. Falou da alegria de ver o trabalho estabelecido, mas também do peso no coração por deixar o Brasil e encarar o novo desafio de morar e atuar nos EUA. Quem assumirá a partir de 2018 é o Pr Nonato de Olinda-PE, ele e sua família mudam para Curitiba no fim deste ano.

Enfim, foi uma grande bênção. Que Deus continue abençoando sua igreja, e a nós Evangélica Livre, como uma parte dela.

 

 

Queridos irmãos das Igrejas Evangélicas Livres no Brasil,

rio do sul 1Orem por Rio do Sul. Estamos com uma grande enchente aqui, talvez a pior da história, as previsões não são boas…

No templo da IEL Rio do Sul já estamos com 1,50 metros de água. Toda área central da cidade está vazia, bancos, mercados, comércio  etc… tudo foi retirado e a água continua subindo, pois chove muito aqui, além de uma das barragens da região já está com 1,70 metros acima da represa e a outra está enchendo muito rápido. A previsão da meteorologia é pra chover muito nesta semana, uma pausa e chuva de novo.

 
Como igreja, estamos ajudando famílias, retirando os pertences, tentando comprar alguma comida, pois a água subiu muito rápido e tiveram que sair na emergência. Na igreja, levamos tudo pro segundo andar (4,30mt) mas se vier o que estão falando pode chegar acima disso e vamos perder muita coisa. Muitas famílias fizeram isso também e podem estar diante de um grande prejuízo.

Orem por nós.
 
Johny Stutzer
IEL Rio do Sul/SC
 
 
 
iel_rio_do_sul_Enchente.jpgIgreja Evangélica Livre em Rio do Sul em 06 de junho de 2017
 
Assista a reportagem do Jornal Nacional de 05 de junho sobre a situação de Rio do Sul: http://g1.globo.com/jornal-nacional/noticia/2017/06/chuvas-castigam-regioes-de-santa-catarina-e-rio-grande-do-sul.html

Prezados Pastores, Líderes e Membros das Igrejas Evangélicas Livres no Brasil,

 

Estamos passando momentos difíceis politicamente e socialmente no Brasil.

Como CIELB (Convenção das Igrejas Evangélicas Livres no Brasil) queremos nos unir a outras igrejas evangélicas brasileiras em oração pela nossa amada Pátria.

Para isto tomo a liberdade de convocar  todas as IEL’s a:

1)    Terem um tempo especial do culto para a oração pelo Brasil neste domingo, 27/05/2017.

2)    Hastear uma bandeira do Brasil dentro ou fora da igreja, lembrando a todos da necessidade que temos de orar pela nossa Pátria.

3)     Continuarmos este movimento de oração até 07 de setembro de 2017,

Como Igrejas Evangélicas Livres e como povo evangélico temos uma tarefa muito grande de tornar esta Nação feliz. 

Cabe-nos  anunciar o Evangelho da Salvação em Cristo, para que seja implantado o Senhorio de Deus no Brasil.

“Bem-aventurada é a nação cujo Deus é o Senhor, o povo que ele escolheu para sua herança.”

Salmo 33.12

 

 

Pr. Klaus G. Rempel

Presidente

CONVENÇÃO DAS IGREJAS EVANGÉLICAS LIVRES DO BRASIL

 

O Coral Kemuel, um dos principais corais de música cristã contemporânea da atualidade, está divulgando o seu trabalho mais recente, o EP Live Session. Lançado exclusivamente nas plataformas digitais de música no final de 2016, o projeto é o primeiro disco da banda focado ao público na internet.

O álbum conta com sete canções oriundas de outros discos do conjunto. Dentre elas, há “Faça Morada”, composição de Daniela Araújo regravada no álbum Criador do Mundo ao Vivo e “Transformados”, que recebeu versão em videoclipe que soma mais de 240 mil visualizações no YouTube.

Em fevereiro, o grupo disponibilizou o single “Fome de Amor”, cujo videoclipe soma mais de 100 mil visualizações. Os integrantes também tem produzido videoconferências na página do Facebook e compartilham novidades para os fãs.

Faixas do EP
1. Faça Morada
2. Me Achego em Você
3. Me Lembro
4. Não Valeria
5. Sempre Comigo
6. Transformados
7. Tudo Me Lembra Você

O projeto Filme Jesus, missão que trabalha com a evangelização usando audiovisual, anunciou que concluiu a tradução para o 1500º idioma. O filme mais assistido da história, de acordo com o Livro Guinness dos Recordes, agora está disponível para a língua Daasanach, falada por um grupo étnico que habita partes da Etiópia, do Quênia e do Sudão.

Desde 1979, ano do seu lançamento, o Filme Jesus já foi exibido 7,5 bilhões de vezes, em todos os países do mundo. Em algumas áreas remotas é o único filme disponível na língua local.

Produzido pela missão Cruzada Estudantil para Cristo, o material continua causando um poderoso impacto, em especial na vida daqueles que ouvem pela primeira vez sobre o evangelho de Jesus, sua morte e ressurreição.

A missão estima que foram mais de 490 milhões decisões de seguir a Cristo após a exibição do filme, que encerra com um “apelo” a conversão. Ao longo dos anos, milhares de ministérios e igrejas utilizaram o Filme Jesus e suas variações: “Madalena”, uma versão para mulheres e “A História de JESUS ​​para as crianças.

Além disso, existem estudos bíblicos especialmente preparados para quem assistiu o longa e, mais recentemente, um aplicativo onde a pessoa tem acesso a todo o material.

Josh Newell, diretor de Marketing e Comunicações do Jesus Film Project, comemora. A nova tradução é mais um passo para alcançar os 865 grupos linguísticos do mundo que não possuem nada do evangelho disponível. Reunidos, eles somam aproximadamente 323 milhões de pessoas. O objetivo da missão é oferecer a todas essas etnias a história de Jesus em sua língua até 2025.

“O Evangelho já chegou a todos os países modernos do mundo. Quando Jesus ordenou a seus seguidores que “fizessem discípulos de todas as nações” em Mateus 28: 18-20, ele não estava se referindo às nações que conhecemos. A maioria desses países nem existiam quando Jesus deu o comando “, explica Newell. “Na Grande Comissão, Jesus ordenou aos seus seguidores que fizessem discípulos de todos os grupos étnicos e ainda faltam muitos deles”, finaliza.

Maiores informações sobre o filme e como se envolver em projetos de oração pelo alcance missionário podem ser encontrados em www.jesusfilm.org 

O governo do Rio de Janeiro liberou o registro de identificação com fotos de pessoas trajando turbantes e véus, se o motivo for considerado a convicção religiosa.

O aval da Procuradoria Geral do Estado (PGE) do Rio de Janeiro foi emitido na última sexta-feira (3). Ficou definido que o Departamento Estadual de Trânsito (Detran) permitirá que cidadãos utilizem esses adereços, sem a necessidade de um documento que comprove a exigência religiosa.

A assessoria de imprensa da PGE-RJ informou ao UOL, que a decisão foi motivada por uma consulta do Detran-RJ, que requisitava que apenas religiosos pertencentes a alguma ordem ou igreja poderiam ter fotos desse tipo nos documentos. Era preciso apresentar uma comprovação de exigência eclesiástica para esse direito ser concedido.

Exigência não tinha legalidade
A PGE constatou que a exigência era inconstitucional e “afrontava a igualdade entre homens e mulheres”. A proibição ocorrerá apenas nas situações em que os acessórios cubram a face ou atrapalhem “o reconhecimento da fisionomia”, exemplo encontrado na burca utilizada por praticantes do islamismo.

Os casos que não são identificados conotação religiosa permanecem proibidos. Acessórios, como bonés, gorros ou chapéus estão impedidos. Cortes de cabelo e penteado não sofrem restrição, desde que eles não cubram o rosto, nem empeçam o reconhecimento da aparência.

A consulta do Detran à PGE se deu após o questionamento judicial de uma estudante que foi impedida, de utilizar turbante em sua foto para identidade, em 2016.

Próximos Eventos