11
Seg, Dez

Últimos Artigos

6 de dezembro de 2017

Leitura Bíblica: Salmo 126.1-6

Não se entristeçam, porque a alegria do SENHOR os fortalecerá (Ne 8.10).

No reinado do rei Zedequias (597-587 a.C.), o povo de Judá foi levado para o cativeiro babilônico. Depois de setenta anos de exílio, Deus ouviu o pedido de socorro do povo e escolheu Neemias para levá-lo de volta a Jerusalém. Os hebreus se encheram de coragem para realizar a reconstrução dos muros da cidade e recolocar os portões que tinham sido queimados. O desafio era grande, mas ele foi concluído mesmo com perseguição pelos inimigos. Quando terminaram, os israelitas se reuniram para comemorar e ouvir a leitura da Palavra de Deus. Foi um momento de grande emoção e choro, porque foram lembrados de tudo o que Deus fizera pelo povo e todos os erros que este cometera em relação a Deus. Mas Neemias e os sacerdotes encorajaram o povo a se alegrar e confiar que o Senhor os fortaleceria. 

Lembrar o que Deus fez por nós nos leva a louvá-lo. Sempre que ouvia minha mãe cantar hinos, eu sabia que ela estava expressando a alegria que tinha dentro de si. Deus havia feito uma grande obra: a vida de nossa família mudara quando conhecemos Jesus. A voz de mamãe espalhava-se pelos campos da chácara onde residíamos. O apóstolo Paulo também orientou os cristãos de Filipos a se alegrarem sempre no Senhor (Fp 4.4). 

Como cristãos, temos condições de sempre cantar a nossa alegria. E não somente cantar, mas também expressá-la em todos os momentos do nosso dia a dia. Essa alegria permanente, característica do povo de Deus, não está ligada às coisas passageiras da vida. Deus se submeteu à maior das tristezas ao mandar seu próprio Filho Jesus para morrer por cada um de nós. E a ressurreição de Jesus produz em nós a maior das alegrias, aquela que não acaba nunca. Se você tem essa alegria, não se esqueça: é ela que nos fortalece e nos permite viver felizes – por dentro e por fora. – JG

Quer alegria permanente? Só Deus pode dá-la.

5 de dezembro de 2017

Leitura Bíblica: Ester 1.1-22

Hoje mesmo as mulheres persas e medas da nobreza que ficarem sabendo do comportamento da rainha agirão da mesma maneira com todos os nobres do rei. Isso provocará desrespeito e discórdia sem fim (Et 1.18).

A tendência de uns se sobreporem a outros está presente em muitas culturas, de diversas formas. As tensões das relações difíceis impõem à vida das pessoas atitudes nem sempre consideradas em todas as suas implicações. O relato histórico da rainha Vasti não apresenta elementos suficientes para julgar sua atitude, todavia é possível refletir sobre a influência que ela poderia ter em todo o reino. Os sábios do rei perceberam que, sem as devidas providências, essa influência seria, da ótica deles, algo negativo.

Em nosso dia a dia, mesmo sem sermos rei ou rainha, afetamos as pessoas de alguma forma ou de outra. Quanto mais perto elas convivem conosco, mais serão influenciadas. Mas isso não significa que nossa influência pare por aí, pois, com todas as tecnologias de comunicação hoje utilizadas, muito do que compartilhamos e mostramos a outros gera algum tipo de motivação que poderá ir muito além do que se imaginou. Tal realidade exige que se faça regularmente uma autoavaliação acerca dos exemplos que se está dando por meio de atitudes, comportamentos, daquilo que se comunica aos outros por meio da vida. Viver sem esta análise significa ter uma atitude inconsequente que pode gerar prejuízos não apenas para si, mas para muitas outras pessoas. Melhor ainda será se, após esta avaliação, eu perceber Deus agindo em minha vida para influenciar outras pessoas de forma positiva. Esta é uma das virtudes em que Ester, a sucessora da rainha Vasti, iria se destacar. Colocar-se nas mãos de Deus para ser uma influência positiva na vida dos outros é a melhor decisão que alguém pode tomar todos os dias. Assim, sua família e amigos terão sempre um bom exemplo que os motivará a viver com Deus e fazer coisas boas. – EMM

Deus em sua vida garante uma ótima infiuência na vida de outras pessoas.

4 de dezembro de 2017

Leitura Bíblica: 2 Timóteo 3.1-9

Saiba disto: nos últimos dias sobrevirão tempos terríveis (2Tm 3.1).

Ao lermos o texto de hoje, parece-nos que estamos diante de um jornal contemporâneo. Encontramos atitudes que se tornaram valores atuais. Por exemplo, quando alguém faz algo errado, logo vem a justificativa: “Todo mundo tem o direito de ser feliz”; ou então se questiona se aquilo é errado mesmo ou não. Num ambiente de decadência moral como o nosso, é importante procurarmos saber como os cristãos podem agradar a Deus.

Em primeiro lugar, é preciso ter mais fé. Num mundo onde cristãos são perseguidos, sequestrados, escravizados e mortos por quem não concorda com suas crenças, é preciso contar com a ajuda divina para resistir diante de tantas situações difíceis e ainda glorificar a Deus apesar delas.

Também é preciso cultivar um amor mais intenso a Cristo. Isso pode exigir uma mudança de hábitos. Por exemplo, reservar um período para ler a Bíblia e orar; não permitir que o consumismo, o amor ao dinheiro e o uso volúvel do tempo torne os filhos de Deus escravos da propaganda e do marketing, desviando-se do foco no Senhor.

Em seus relacionamentos, o cristão deve agir baseado em suas convicções. Fico imaginando a repercussão que teria um cristão fiel enfrentando a corrupção nos meios políticos com uma firme posição baseada na Palavra de Deus. Também é preciso fazer diferença onde a miséria leva suas vítimas aos vícios, à prostituição, à violência e à criminalidade. Tais pessoas precisam conhecer o Evangelho de Cristo para que suas vidas sejam transformadas e elas possam ter esperança!

Finalmente, embora sejam tempos difíceis para o desenvolvimento da espiritualidade, cada cristão deve cultivar a alegria ao lembrar a promessa de Jesus de que ele estará com seus seguidores até o fim dos tempos (Mt 28.20)! Tal certeza é que ajuda os filhos de Deus a viver mesmo nas circunstâncias mais difíceis! – MJT

É possível agradar a Deus mesmo numa época de tanta decadência moral: colocando a fé em prática!

3 de dezembro de 2017

Leitura Bíblica: Mateus 24.42-44

Portanto, vigiem, porque vocês não sabem em que dia virá o seu Senhor (Mt 24.42).

O capítulo 24 de Mateus trata da volta de Cristo. Depois de mencionar diversos sinais que precederão seu retorno, Jesus deixa claro que ninguém sabe quando este momento chegará, nem os anjos, nem o Filho, mas somente o Pai (Mt 24.36). Nos capítulos 24 e 25 ele relata então diversas parábolas sobre a iminência da sua volta e a necessidade de vigilância por parte dos cristãos.

Tendo em mente que ninguém sabe a hora exata da vinda do Senhor, ele faz esta comparação: “Se o dono da casa soubesse a que hora da noite o ladrão viria, ele ficaria de guarda e não deixaria que a sua casa fosse arrombada” (v 43).

Assaltos ocorrem frequentemente, especialmente em tempos de crise econômica. Naquela época, os ladrões arrombavam a casa escavando um buraco na parede e roubavam todos os bens do proprietário. A maioria das casas da Galileia era feita de barro. Depois de chuvas fortes, quase sempre tinham de ser reparadas. Era possível abrir um buraco na parede, e a parábola indica que os bandidos o faziam facilmente. Se o dono da casa soubesse a que horas os ladrões viriam, com certeza vigiaria para impedir que o roubo acontecesse.

Jesus não contou esta parábola para exortar seus ouvintes a tomar medidas de segurança em suas pequenas casas rurais. Ele quis exortá-los a serem vigilantes e a viver de tal maneira que pudessem esperar com confiança a vinda de Cristo e o julgamento que ele fará. Em muitos lugares do Novo Testamento, a vinda de Cristo é comparada com a vinda de um ladrão durante a noite (p.ex. 1Ts 5.2; 2Pe 3.10; Ap 3.3; Ap 16.15). Claro que Cristo não se compara a um ladrão; o inesperado de sua vinda é que lembra um assalto. Entretanto, sua vinda só é imprevisível para quem não o espera. Estes, sim, serão surpreendidos. Aqueles que entendem e esperam pela vinda de Cristo não serão surpreendidos, pois o estarão aguardando. – CK

Prepare-se para a volta de Cristo vivendo hoje como se ele já estivesse visível ao seu lado.

2 de dezembro de 2017

Leitura Bíblica: Gênesis 8.20-22

Enquanto durar a terra, plantio e colheita, frio e calor, verão e inverno, dia e noite jamais cessarão (Gn 8.22).

É promessa de Deus que as leis da natureza, que ele estabeleceu, permanecerão para sempre.

Conta-se uma fábula sobre um dia em que o sol não brilhou. Às 7 horas da manhã ainda estava escuro. Às 8, nenhum sinal de luz havia no horizonte. Por volta das 10, nada de claridade, e as escolas mandaram os alunos para casa. Ao meio-dia continuava tão escuro como à meia-noite. Compromissos foram cancelados. Às quatro da tarde as igrejas estavam lotadas de pessoas pedindo a Deus que mandasse o sol brilhar de novo. Muitos choravam. O tempo passou, mas ninguém foi para casa à meia-noite. Todos ficaram vigiando, vigiando… Então vieram as primeiras horas da manhã seguinte. Os corações batiam fortes. Surgiu uma pequena claridade rosada, uma pontinha de luz. Ouviam-se gritos e risadas por toda parte. Desconhecidos se abraçavam. Muitos choravam de alegria e davam graças a Deus.
A falta de luz natural por apenas um dia levou aquelas pessoas à angústia e ao desespero. O retorno da claridade habitual despertou a gratidão de todos.

Realmente a constância das bênçãos de Deus nos torna relapsos em agradecer. Só quando deparamos com perdas é que nos lembramos de recorrer à fonte de toda graça. O primeiro ato de Noé depois de sair da arca foi adorar a Deus. O holocausto significava dedicação a Deus e pedido de perdão pelos erros. O relato de que Deus sentiu o aroma agradável retrata o prazer dele com a adoração do seu povo. O holocausto de Noé acalmou a indignação de Deus contra a rebeldia (Gn 6.6). Deus faz uma aliança com Noé e promete nunca mais enviar um dilúvio. Não deixe de reconhecer o sustento de Deus nas pequenas coisas. É preciso em todo tempo adorar a Deus e ser agradecido. – HSG

Adoração e gratidão são essenciais no relacionamento com Deus.

 

1 de dezembro de 2017

Leitura Bíblica: Romanos 8.18-25

A nossa cidadania, porém, está nos céus, de onde esperamos ansiosamente o Salvador, o Senhor Jesus Cristo (Fp 3.20).

Talvez poucas vezes pensamos com seriedade nas palavras do apóstolo Paulo. Ele faz algumas afirmações bem contundentes. Destaco uma dessas afirmações no título desse texto. Ele diz que toda a criação foi submetida à inutilidade, e nós seres humanos estamos incluídos, pois também somos criação de Deus. Em outras palavras, a declaração diz que falta utilidade ou serventia para a criação. Volto a afirmar que isso inclui você e eu.

Talvez essas palavras nos ajudam a entender o quão grave foi a queda do ser humano no pecado e as suas consequências. Não há mais utilidade em toda a criação desde que o ser humano desobedeceu a Deus. O que você e eu fazemos com algo que não tem mais utilidade ou serventia para nós? Geralmente descartamos no lixo. É isso que aconteceu com a criação: ela foi descartada no lixo devido à desobediência do ser humano.

Mas aqui entram o grande amor e profunda misericórdia de Deus. Deus decretou que haverá uma mudança nessa realidade. A criação será libertada dessa inutilidade, o que se tornou possível em Jesus Cristo. Nele temos a redenção, nele ganhamos valor, não por nós mesmos, mas por causa de Cristo.

É importante observar que ainda vivemos em um mundo e com um corpo submetidos à inutilidade. Observe o que acontece ao seu redor. Violência, impiedade, corrupção, guerras, fome, doenças e morte são algumas das coisas que se fazem presentes no nosso dia a dia. Tudo isso acontece porque ainda aguardamos a libertação total dos filhos de Deus dessa realidade caótica. Mas aguardemos com esperança, pois há uma nova realidade à espera dos filhos de Deus, e você e eu poderemos fazer parte dela, desde que estejamos em Cristo Jesus. – MP

Os sofrimentos que experimentamos nesse mundo não podem ser comparados à glória que teremos na presença de Deus.

 

30 de novembro de 2017

Leitura Bíblica: Atos 10.1-8;17-22

[Cornélio disse a Pedro:] Estamos todos aqui na presença de Deus, para ouvir tudo que o Senhor te mandou dizer-nos (At 10.33b).

Quando vamos a um culto ou a um encontro para estudar a Bíblia é para ouvir o que o Senhor tem a nos dizer. Não fazemos isso para ver o que os outros estão vestindo nem como um simples hábito. É provável que a pessoa a ser usada por Deus para proclamar sua mensagem tenha estudado um trecho bíblico pedindo a orientação divina. Assim, vai falar o que Deus quer que você ouça de acordo com a sua necessidade e a de outras pessoas. Então, procure sempre ouvir com atenção o que Deus tem a lhe dizer e esteja disposto a colocar em prática o que ele deseja.

Foi assim com Cornélio, sobre quem lemos hoje: ele ouviu o que o anjo falou, obedeceu e depois disse a Pedro o que está registrado no versículo em destaque. Aliás, o que ele disse é exatamente aquilo que devemos sentir e desejar quando buscamos a Deus, pois a mensagem que ele nos envia merece toda a atenção e consideração possíveis. Na ocasião em que Cornélio recebeu a visita de Pedro, o recado de Deus era de suma importância (leia At 10.24-48). Todos ouviram com a máxima atenção e o resultado desse encontro foi que “enquanto Pedro ainda estava falando, o Espírito Santo desceu sobre todos os que ouviam a mensagem” (At 10.44), ou seja, eles entregaram sua vida a Cristo.
A linha de pensamento sobre a necessidade de ouvir a mensagem divina prossegue em Tiago 1.22-25: “Sejam praticantes da palavra, e não apenas ouvintes, enganando-se a si mesmos. Aquele que ouve a palavra, mas não a põe em prática, é semelhante a um homem que olha a sua face num espelho e, depois de olhar para si mesmo, sai e logo esquece a sua aparência. Mas o homem que observa atentamente a lei perfeita, que traz a liberdade, e persevera na prática dessa lei, não esquecendo o que ouviu, mas praticando-o, será feliz naquilo que fizer”. Você quer ser feliz? Então ouça a Palavra de Deus e pratique-a! – WK

Ouçamos com atenção a mensagem mais importante que existe!

 

23 de junho de 2017

Leitura Bíblica: Salmo 119.9-16

Guardei no coração a tua palavra para não pecar contra ti (Sl 119.11).

Nesta conversa com Deus, o salmista declara o inestimável valor de conhecer e decorar a Palavra de Deus. É sua principal arma contra a força da tentação.

Tiago, meio-irmão de Jesus, esclarece que esta tentação emana do mau desejo capaz de arrastar e seduzir o coração humano. Isso resulta no pecado (aquilo que desagrada a Deus) que, uma vez consumado, gera a morte (Tg 1.14-15). Assim como o corpo humano luta constantemente contra os tóxicos que ameaçam sua vida, filtrando o sangue pelos rins e o ar pelo nariz e pulmões, o cristão se protege contra o pecado meditando na Bíblia e memorizando seus textos. Não há melhor proteção contra as ciladas de Satanás do que a fé firmada na Palavra inspirada por Deus. Foi assim que Jesus venceu as tentações no deserto da Judeia (Mt 4.1-11; Mc 1.12-13 e Lc 4.1-13).

A vitória eficaz sobre a tentação depende de dois princípios: a ação do Espírito Santo (que utiliza a verdade bíblica para vencer o pecado) é essencial; além disso, é necessário conhecer a Palavra. Diz o apóstolo Paulo: “Se vocês viverem de acordo com a carne, morrerão; mas, se pelo Espírito fizerem morrer os atos do corpo, viverão” (Rm 8.13).

O autor de Hebreus declara solenemente que “sem santidade ninguém verá o Senhor” (12.14b). Cristãos que imaginam poder trilhar o caminho da santificação sem ler ou meditar na Palavra, ou que apenas com o esforço próprio vencerão as tentações que continuamente estão assediando seu coração, estão redondamente enganados. O salmista sabe melhor. O cristão, guardando a Palavra de Deus no coração e buscando o poder do Espírito pela oração, tem a melhor chance de alcançar a vitória. O caro leitor está convencido de que o relacionamento com Deus por meio da Palavra inspirada é o caminho mais seguro para vencer a tentação? – RS

Palavra e Espírito Santo no coração: o melhor produto no melhor lugar para o melhor propósito!

22 de junho de 2017

Leitura Bíblica: Filipenses 3.16-19

Tu, porém, sê sóbrio em todas as coisas, suporta as afeições, faze o trabalho de um evangelista, cumpre cabalmente o teu ministério (2Tm 4.5, ara).

Temos um grande desafio: imitar Deus no mundo atual. Ser diferentes da maioria. Hoje muitos valorizam mais as coisas do que a vida humana. É mais comum ver pessoas impacientes do que tolerantes. Gente que tem muitas posses e está cada vez mais insatisfeita. Pessoas mais cultas, mas mesmo assim menos sábias. Um mundo de extravagâncias e exageros, mas de menos fé e piedade. Olhar para um mundo assim causa tristeza, ficamos decepcionados com a atitude de muita gente. Nessa hora, no lugar do desânimo com o gênero humano, devemos lembrar que Cristo se entregou por nós a fim de nos remir dessa maldade. Em um mundo que perdeu seus valores, temos de renunciar à impiedade e viver de maneira sensata e piedosa, dedicando-nos à prática das boas obras.

“Quando entrarem na terra que o Senhor, o seu Deus, lhes dá, não procurem imitar as coisas repugnantes que as nações de lá praticam” (Dt 18.9). Frase muito pertinente para ser usada hoje: não procure imitar as coisas repugnantes que as nações praticam.

Veja comigo algumas das características da nossa época que mais nos afetam. O colapso das crenças – há uma descrença de tudo que se afirmava até agora: autoridades, instituições, família, governo, igrejas. A busca de novidades exóticas. Necessidade de chocar, escandalizar, aparecer, rejeitar os padrões. Um estilo individualista, hedonista e narcisista. Viver em função do prazer, em busca do que é agradável, olhando mais para si que para o mundo.

Ao viver em um mundo assim, convém lembrar as duas palavrinhas que Paulo diz a Timóteo: “Tu, porém”. Temos um grande desafio! É preciso saber como servir a Deus no tempo em que estamos inseridos! Para isso temos de segui-lo sem nos desviar do seu caminho e viver de acordo com o que temos aprendido como cidadãos dos céus que aguardam a vinda de Jesus. – HSG

Nossa luta é viver piedosamente, influenciar e não ser influenciados.

Facebook

Publicidade Google

Últimas Noticias

download pdf

 

133_11.jpg133_9.jpg133_8.jpg133_7.jpg133_6.jpg133_5.jpg133_4.jpg133_3.jpg133_2.jpg133_1.jpg133_10.jpg133_16.jpg133_15.jpg133_14.jpg133_13.jpg133_12.jpg

Mais um Congresso, o 4º do Setiel (Seminário Teológico Nas Igrejas Evangélicas Livres). O tema foi bastante provocante: Esgotamento Ministerial. Você participaria de um congresso que falasse sobre a possibilidade ou até realidade de um esgotamento em sua vida?

Pois é, 125 pessoas (pastores e presbíteros = 56, mais missionários e cônjuges), aceitaram o desafio de ouvir e refletir sobre seu ministério na igreja do Senhor e o impacto que isso tem em sua vida familiar e pessoal.

Fomos ministrados por dois casais do Ministério Oasis que se dedica especificamente à restauração de pastores, missionários e líderes cristãos esgotados. Eles compartilharam sobre sua atuação nessa área tendo investido em mais de 1000 pastores e líderes. Uma realidade presente nas mais diferentes denominações. Houve oportunidade para abrir o coração e buscar ajuda. Uma pessoa desabafou de forma anônima e recebeu da liderança de nossa Convenção a garantia de que dariam todo apoio para que recebesse o cuidado necessário para sua restauração.

Um outro lado muito importante e bom do Congresso é o encontro com pessoas de todas as regiões do Brasil. A participação de nossos irmãos do Nordeste foi muito marcante. Ver que vieram de tão longe para ter comunhão com os demais foi gratificante. A distância de Pelotas-RS até o Norte (Envira-AM) é de 4600 km (3.200 em linha reta no mapa). Mas, nada que o amor não supere e promova uma unidade incrível.
Além do Congresso tivemos também as reuniões oficiais, as Assembleias Gerais Ordinárias (AGOs) . Da AMEL (Associação Missionária Evangélica Livre) e da CIELB (Convenção das Igrejas Evangélicas Livres no Brasil). Na AMEL conhecemos e aprovamos mais um projeto missionário: Marinaha – Envira – Amazonas – Brasil. Uma parceria com a Allianz Mission (Alemanha) para que a etnia Kulina possa ouvir do amor de Jesus através de vários meios, principalmente pelo apoio aos jovens que se mudam para regiões urbanas. Foi bom também ver os vídeos de nossos missionários na África, Portugal e Haiti.

Na AGO da CIELB tivemos ordenação pastoral de Tiago, Samuel e Moacir de Pernambuco. Jovens pastores que fazem um grande trabalho na região.

A noite de testemunhos e abertura de coração foi muito marcante. Alguns agradeceram o cuidado de Deus, outros pediram oração. Quem também aproveitou para compartilhar foi o Pr. Dimas que está entregando a liderança do SETIEL. Falou da alegria de ver o trabalho estabelecido, mas também do peso no coração por deixar o Brasil e encarar o novo desafio de morar e atuar nos EUA. Quem assumirá a partir de 2018 é o Pr Nonato de Olinda-PE, ele e sua família mudam para Curitiba no fim deste ano.

Enfim, foi uma grande bênção. Que Deus continue abençoando sua igreja, e a nós Evangélica Livre, como uma parte dela.

 

 

Queridos irmãos das Igrejas Evangélicas Livres no Brasil,

rio do sul 1Orem por Rio do Sul. Estamos com uma grande enchente aqui, talvez a pior da história, as previsões não são boas…

No templo da IEL Rio do Sul já estamos com 1,50 metros de água. Toda área central da cidade está vazia, bancos, mercados, comércio  etc… tudo foi retirado e a água continua subindo, pois chove muito aqui, além de uma das barragens da região já está com 1,70 metros acima da represa e a outra está enchendo muito rápido. A previsão da meteorologia é pra chover muito nesta semana, uma pausa e chuva de novo.

 
Como igreja, estamos ajudando famílias, retirando os pertences, tentando comprar alguma comida, pois a água subiu muito rápido e tiveram que sair na emergência. Na igreja, levamos tudo pro segundo andar (4,30mt) mas se vier o que estão falando pode chegar acima disso e vamos perder muita coisa. Muitas famílias fizeram isso também e podem estar diante de um grande prejuízo.

Orem por nós.
 
Johny Stutzer
IEL Rio do Sul/SC
 
 
 
iel_rio_do_sul_Enchente.jpgIgreja Evangélica Livre em Rio do Sul em 06 de junho de 2017
 
Assista a reportagem do Jornal Nacional de 05 de junho sobre a situação de Rio do Sul: http://g1.globo.com/jornal-nacional/noticia/2017/06/chuvas-castigam-regioes-de-santa-catarina-e-rio-grande-do-sul.html

Prezados Pastores, Líderes e Membros das Igrejas Evangélicas Livres no Brasil,

 

Estamos passando momentos difíceis politicamente e socialmente no Brasil.

Como CIELB (Convenção das Igrejas Evangélicas Livres no Brasil) queremos nos unir a outras igrejas evangélicas brasileiras em oração pela nossa amada Pátria.

Para isto tomo a liberdade de convocar  todas as IEL’s a:

1)    Terem um tempo especial do culto para a oração pelo Brasil neste domingo, 27/05/2017.

2)    Hastear uma bandeira do Brasil dentro ou fora da igreja, lembrando a todos da necessidade que temos de orar pela nossa Pátria.

3)     Continuarmos este movimento de oração até 07 de setembro de 2017,

Como Igrejas Evangélicas Livres e como povo evangélico temos uma tarefa muito grande de tornar esta Nação feliz. 

Cabe-nos  anunciar o Evangelho da Salvação em Cristo, para que seja implantado o Senhorio de Deus no Brasil.

“Bem-aventurada é a nação cujo Deus é o Senhor, o povo que ele escolheu para sua herança.”

Salmo 33.12

 

 

Pr. Klaus G. Rempel

Presidente

CONVENÇÃO DAS IGREJAS EVANGÉLICAS LIVRES DO BRASIL

 

O Coral Kemuel, um dos principais corais de música cristã contemporânea da atualidade, está divulgando o seu trabalho mais recente, o EP Live Session. Lançado exclusivamente nas plataformas digitais de música no final de 2016, o projeto é o primeiro disco da banda focado ao público na internet.

O álbum conta com sete canções oriundas de outros discos do conjunto. Dentre elas, há “Faça Morada”, composição de Daniela Araújo regravada no álbum Criador do Mundo ao Vivo e “Transformados”, que recebeu versão em videoclipe que soma mais de 240 mil visualizações no YouTube.

Em fevereiro, o grupo disponibilizou o single “Fome de Amor”, cujo videoclipe soma mais de 100 mil visualizações. Os integrantes também tem produzido videoconferências na página do Facebook e compartilham novidades para os fãs.

Faixas do EP
1. Faça Morada
2. Me Achego em Você
3. Me Lembro
4. Não Valeria
5. Sempre Comigo
6. Transformados
7. Tudo Me Lembra Você

O projeto Filme Jesus, missão que trabalha com a evangelização usando audiovisual, anunciou que concluiu a tradução para o 1500º idioma. O filme mais assistido da história, de acordo com o Livro Guinness dos Recordes, agora está disponível para a língua Daasanach, falada por um grupo étnico que habita partes da Etiópia, do Quênia e do Sudão.

Desde 1979, ano do seu lançamento, o Filme Jesus já foi exibido 7,5 bilhões de vezes, em todos os países do mundo. Em algumas áreas remotas é o único filme disponível na língua local.

Produzido pela missão Cruzada Estudantil para Cristo, o material continua causando um poderoso impacto, em especial na vida daqueles que ouvem pela primeira vez sobre o evangelho de Jesus, sua morte e ressurreição.

A missão estima que foram mais de 490 milhões decisões de seguir a Cristo após a exibição do filme, que encerra com um “apelo” a conversão. Ao longo dos anos, milhares de ministérios e igrejas utilizaram o Filme Jesus e suas variações: “Madalena”, uma versão para mulheres e “A História de JESUS ​​para as crianças.

Além disso, existem estudos bíblicos especialmente preparados para quem assistiu o longa e, mais recentemente, um aplicativo onde a pessoa tem acesso a todo o material.

Josh Newell, diretor de Marketing e Comunicações do Jesus Film Project, comemora. A nova tradução é mais um passo para alcançar os 865 grupos linguísticos do mundo que não possuem nada do evangelho disponível. Reunidos, eles somam aproximadamente 323 milhões de pessoas. O objetivo da missão é oferecer a todas essas etnias a história de Jesus em sua língua até 2025.

“O Evangelho já chegou a todos os países modernos do mundo. Quando Jesus ordenou a seus seguidores que “fizessem discípulos de todas as nações” em Mateus 28: 18-20, ele não estava se referindo às nações que conhecemos. A maioria desses países nem existiam quando Jesus deu o comando “, explica Newell. “Na Grande Comissão, Jesus ordenou aos seus seguidores que fizessem discípulos de todos os grupos étnicos e ainda faltam muitos deles”, finaliza.

Maiores informações sobre o filme e como se envolver em projetos de oração pelo alcance missionário podem ser encontrados em www.jesusfilm.org