17
Sex, Ago

Últimos Artigos

O assunto ideologia de gênero foi destaque nesta terça-feira (3) no programa Cidade Partida, do canal Brasil. A psicóloga cristã Marisa Lobo debateu o tema ao lado de José Junior, Elis Erlanger, Elisa Lucinda, e da advogada transexual Giovana Cambrone.

“Nós temos que tocar no assunto sem promover e sem induzir ao preconceito. Não é para tratar legalmente em escolas municipais, estaduais. Pode haver toda confusão. A maioria das pessoas não concordam com isso. Nós vivemos em uma democracia, nós temos que respeitar as pessoas”, disse a psicóloga ao explicar sobre o ensino da ideologia de gênero para crianças.

Ao longo do debate foi mencionado sobre a “disforia de gênero”, que é quando um indivíduo não se sente feliz dentro do corpo que possui e com isso o faz identificar com o sexo oposto. Segundo a psicóloga isso existe. Mas esses casos devem passar pelo comitê para identificar se a criança está confusa ou se realmente tem a disforia de gênero.

“Esse comitê de disforia de gênero existe justamente para descobrir se realmente a criança tem uma disforia de gênero ou se ela só está confusa. Então a gente não tem que dizer o que ela é ou não é. É preciso deixar a criança desenvolver. E se não for promovido, aquela disforia pode não ser desenvolvida”, esclareceu.

A psicóloga se diz contra a promoção do assunto nas escolas. “As escolas não são os espaços para este tipo de debate. Crianças e adolescentes podem ficar confusos”, disse a psicóloga que é evangélica.

 

 

Referência no assunto família, o pastor Jaime Kemp dedicou sua vida para oferecer diretrizes e orientações bíblicas ao núcleo mais importante da sociedade.

O fervor do missionário americano, Jaime Kemp, no Brasil desde 1968, por esse tema é tão grande, que em 1984 fundou o Lar Cristão, uma organização sem fins lucrativos. Ele e a esposa, Judith Kemp, dirigem o ministério e têm mais de 40 livros publicados, além de realizarem seminário, conferências e palestras sobre família e vida do casal. Na entrevista ele destaca o valor mais importante para a vida a dois, o exemplo que o casal deve significar para os filhos, separação e romantismo.

O senhor tem um casamento de 43 anos com a Judith. Quais são os fatores que sustentam o casamento de vocês?

Compromisso é uma das coisas principais. Saber que é uma promessa até o final. Porque nossos compromissos de casamento são às vezes bem fraquinhos, ou muitas vezes nós não compreendemos o compromisso do amor. Agora, minha esposa diz que um casamento é bem-sucedido quando tem duas pessoas que sabem perdoar. Então, é importante reconhecer que nós somos pecadores, e que vamos, algumas vezes, “pisar na bola”, e teremos tanto que pedir perdão quanto perdoar. Além disso, eu diria mais uma coisa, entre tantas, que é a questão do tempo. Acho que nós precisamos cuidar da nossa agenda, porque casamento exige cultivo, e às vezes o casal corre pra lá e pra cá, tem faculdade, vários compromissos, ou então vem o filho e eles estão trabalhando fora, não têm muito tempo à noite, e é um problema. Então, é muito importante a gente ajustar a nossa agenda para alcançar e usar o tempo para cultivar o relacionamento.

O que de maneira geral dificulta tanto os relacionamentos modernos?

Há muitas coisas. Por exemplo: a mídia. Constantemente, novelas e filmes falam de relacionamentos extraconjugais, de relacionamentos sem fidelidade. De vez em quando tem algum filme que fala da fidelidade do homem em relação à sua mulher, ele passa traumas, passa dificuldades com ela, mas fica firme com ela. Mas na maior parte das vezes são filmes e novelas em que sempre tem uma terceira pessoa. Então, a mídia é uma forte fonte de separações, e de influência na cabeça do nosso povo. Além disso, como já falei, a importância de reconhecer que amor é para ser cultivado, e para aprofundar precisa de tempo, de passeios, de férias, de momentos juntos. É fundamental isto.

De que forma o pensamento “se não der certo, eu me separo” influi no andamento da relação conjugal?

Quando Judith e eu nos casamos, tomamos a decisão de que as palavras divórcio ou separação não estariam no nosso vocabulário. Quando vierem problemas, dificuldades, tragédias (e eles vêm!), nós nos apresentaremos diante de Deus, que é o arquiteto do lar, e nEle vamos procurar a solução – que não é fugir, não é arrumar outra mulher ou outro homem, nem simplesmente deixar de casar de novo e só se casar com a sua profissão ou carreira. É importante compreender o compromisso e manter-se firme nesse compromisso.

O senhor escreveu um livro que fala sobre romance. Para o senhor, o que é romance? Como ser romântico e de que forma expressar isso?

Romance é chegar em casa e ter um jantar preparado pela esposa com a comida que ele mais gosta e à luz de velas, música romântica tocando, as crianças na casa da sogra, dando um castigo nela, e o homem chegar em casa com três rosas e um bilhete: Gatinha, eu te amo muito. Romance é levar a esposa para jantar fora à luz de velas, é levar chocolate para ela, é arrumar e perfumar a cama, são coisas que nós fazemos que demonstram que somos românticos, porque o medo é que o casamento se torne chato se nós não tomamos algumas atitudes diariamente. Eu penso que todo homem deve fazer algo especial, diferente, não necessariamente grande, para que a esposa saiba que é amada, que é especial, que tem valor. O romantismo é que mantém a chama acesa, sem deixar o amor esfriar e o relacionamento tornar-se chato. E o tempo não limita isso, de forma alguma.

Quando os filhos chegam, quais as maiores mudanças que acontecem num casamento e como “sobreviver” a elas? 

É saudável para os filhos saberem que papai é apaixonado pela mamãe e mamãe está louca pelo papai. Todas as vezes que eu chegava com uma rosa ou outra coisa especial para a minha esposa, queria que minhas filhas estivessem perto para ver que papai e mamãe se amam e não são apenas duas pessoas convivendo e sobrevivendo sob o mesmo teto. Os filhos têm que saber que existe amor entre os pais. Claro que isso não quer dizer que não vá haver alguma discussão, algum conflito de opiniões, porque isso acontece, mas é indispensável cultivar o amor e fazer os filhos participarem disso. Então, há muito que deve ser comunicado e aprendido no laboratório que é a vida em família, a convivência no lar.

Às vezes a educação infantil provoca discórdias entre os cônjuges. De quem é o papel de educar uma criança? E como fazer com que essas diferenças não influenciem negativamente na educação?

Por isso eu falo muito sobre curso pré-nupcial, porque no curso quando chega no assunto de criação, educação e disciplina de filhos, nós vamos conversar a luz da palavra de Deus. O que Deus fala sobre isso? Vamos discutir para que haja a concordância antes do casamento sobre qual é a filosofia de Deus de como se criar filhos. A palavra de Deus é muito clara sobre isso. Agora esse é um problema que deve ser resolvido muito antes de se chegar ao casamento. Se não concordamos, ou não vamos ter filhos ou não vamos casar. Se a mãe fala ‘não pode’ e a criança vai para o pai e ele diz ‘sim, pode’, o pai está passando por cima da autoridade da mãe. Então é necessário conversar antes para poder ver o que ficou decidido e para não violar a autoridade um do outro.

E depois, quando os filhos já estão crescidos e partem para as suas próprias vidas. Como o casal pode sobreviver a síndrome do ninho vazio?

Eu vou contar a história dos meus pais. Eles sempre tiveram problemas conjugais e o que aconteceu, vieram os filhos e os filhos tomaram todo o tempo deles. Porque os pais não tinham um bom relacionamento, eles se doaram totalmente à vida dos filhos. Quando o último filho estava fora do ninho, então os meus pais não tinham mais nada a conversar, não tinha mais filho e eles se divorciaram. Muitos casais esquecem que antes de chegar os filhos, já eram um casal, depois que os filhos saem, permanece o casal. Então a prioridade no relacionamento conjugal e familiar, não são os filhos. A prioridade é manter o relacionamento bonito durante todos os anos. Isso vai ser um modelo para os filhos, um exemplo para os filhos que daqui a pouco vão casar.

O senhor acredita que se deva usar o princípio do uso da varinha para a correção de crianças, conforme está em Provérbios 23:13: “Não retires a disciplina da criança; pois se a fustigares com a vara, nem por isso morrerá”?

O problema é que estamos vivendo em dias terríveis. Até no Congresso Nacional eles estão querendo proibir os pais por causa de excessos, abusos e espancamentos. Quando eu falo sobre a vara, não estou falando de abuso, de espancamentos e descarregar a raiva sobre a criança, nada disso. Nosso ensino é bíblico. A vara é permeada pelo amor, pela comunicação, pela tranqüilidade. Jamais pai e mãe devem castigar, porque a disciplina tem o propósito de criar caráter na vida da criança. Eu falo também que tem crianças que não precisam do uso da vara. Apenas uma palavra de persuasão é necessária. A vara é usada para crianças rebeldes, desobedientes e teimosas que insistem no erro.

Existem diferenças na forma de conduzir a educação da criança quando uma mãe (ou pai) educa sozinho? Qual a maior dificuldade de criar o filho sem o cônjuge?

Em 89% dos casos, a mãe fica com a responsabilidade pela criança. Agora, veja o problema, na grande maioria dos casos o homem não paga a pensão. E aí o que acontece, ela vai ter que trabalhar fora, provavelmente a casa onde moravam será desfeita e ela vai voltar para a casa dos pais. Os pais que já criaram seus filhos, querem ter sua vida, querem viajar e o que acontece, vai ter uma discussão uma divergência em relação a criação. A vovó vai ter que criar os netos porque a mamãe está trabalhando oito horas por dia. Não é sempre assim, mas muitas vezes acontece isso pois a mãe não têm condições de se manter com o seu salário. E isso cria muitas dificuldades na criação dos filhos.

E que conselhos o senhor dá para essas pessoas?

Se a mãe tem dinheiro, ela compra uma casa, ela pode ter uma empregada que cuide dos filhos, que leve para a escola, que faz a comida, e a noite ela vai ser mamãe e papai. Vai ter que ser os dois. É claro que o juiz dá uma semana sim e uma semana não para cada um dos pais ou o fim de semana alterando. E isso é outro problema porque o homem quer se relacionar com os filhos e o que ele faz, leva as crianças no parque, leva em lugares gostosos, leva para comer fora, compra coisas para a criança e a criança volta no domingo a noite estragada! E a mãe tem que lavar a roupa, cuidar da tarefa da escola e ainda tem que lidar com uma criança que foi mimada no final de semana!

Eu queria que o senhor ajudasse essa mãe e esse pai que estão passando por isso agora…. Como depois de descasado o pai e a mãe podem colaborar um com o outro?

O pai não vai colaborar muito porque, no mês, vai estar com os filhos duas ou três vezes e ele não vai poder fazer muita coisa. Então ele precisa colocar para as crianças princípios de Deus mesmo que tenha se separado, que não esteja mais com sua mulher. A mãe pode arrumar amigas com quem ela possa desabafar, chorar e orar. A igreja precisa providenciar, por exemplo, uma sociedade de mães solteiras ou mães separadas para providenciar fomentos juntos, para conversas e comunhão e dar apoio de como criar filhos sem maridos, sem o pai.

20 de dezembro de 2017

Leitura Bíblica: Êxodo 18.5-23

Como é bom um conselho na hora certa! (Pv 15.23b)

Talvez um dos relacionamentos mais complicados seja com os sogros, e destes com os cônjuges de seus filhos. Apesar de em muitos casos haver simpatia mútua, é preciso considerar que muitas famílias são diferentes em seus hábitos, conceitos, tradições, crenças – e isso pode gerar conflitos. Hoje lemos sobre a visita de Jetro ao seu genro. Em todo mundo conhecido da época, o assunto mais comentado era o que o Senhor fizera por Israel. Jetro teve o privilégio de ouvir isso contado por aquele que liderava o povo e teve participação direta nos milagres. Tudo isso levou Jetro a glorificar e adorar a Deus.

Sua visita, porém, não foi apenas festa. Ele ajudou Moisés em algo que este talvez nem percebesse que estava prejudicando a si e ao povo. Ao ver aquela situação tão improdutiva e que em breve esgotaria a todos, Jetro interferiu. Não como alguns sogros e pais que dizem: “Faça isso” ou “Não faça aquilo”. Ele ofereceu um conselho muito sábio: dividir a tarefa com homens íntegros e tementes a Deus. Não foi orgulhoso, esperando que Moisés fracassasse para então ensinar-lhe, de modo arrogante, o que fazer. Permitiu que Deus o usasse para melhorar o atendimento das questões do povo e transmitiu um ensino que pode ser aplicado em nossas vidas hoje: não precisamos fazer tudo sozinhos! Vivemos num mundo muito competitivo, em que muitos têm medo de delegar ou não confiam em seus colaboradores. Mas é sempre confortante pensar que não precisamos chegar ao ponto do esgotamento, pois a Bíblia nos ensina que dividir tarefas e trabalhar em equipe pode ser muito bom para todos.

Moisés também não foi orgulhoso: compreendeu que o conselho era sábio e que seria tolice não segui-lo. Por causa do bom relacionamento entre eles, todos foram beneficiados.

E você, ouve e aceita conselhos de seus familiares? Ter humildade diante de um conselho sábio pode mudar nossa vida e nos poupar muito sofrimento! – VWR

“Ouça conselhos e aceite instruções, e acabará sendo sábio” (Pv 19.20).

19 de dezembro de 2017

Leitura Bíblica: Salmo 127.1-5

Se não for o SENHOR o construtor da casa, será inútil trabalhar na construção. Se não é o SENHOR que vigia a cidade, será inútil a sentinela montar guarda (Sl 127.1).

O texto que você acabou de ler trata de assuntos comuns que envolvem nossa vida: construção de uma casa, segurança, trabalho, descanso, filhos e conflitos. Diante dessas situações podemos ter duas posturas: encarar tudo isso com nossas próprias forças ou permitir que o Senhor esteja conosco. Nesta segunda opção é como se ele fosse nosso “sócio” em todos estes empreendimentos, pois certamente nos ajudará a realizar aquilo que estiver de acordo com sua vontade.

Em Provérbios 16.3 está escrito: “Consagre ao SENHOR tudo o que você faz, e os seus planos serão bem-sucedidos”. Porém, isso não significa que todas as dificuldades serão eliminadas. Jesus mesmo disse que neste mundo teríamos aflições (João 16.33b). Contudo, contar com a presença de Deus torna nossa vida mais leve, mesmo em meio às dificuldades. Jesus convida a todos os cansados e sobrecarregados para que o busquem, pois nele encontrarão descanso (Mateus 11.28).

Diante das situações da nossa vida que surgem em decorrência de questões como moradia, segurança, trabalho, descanso, filhos e conflitos, Jesus nos ensina que não precisamos nos preocupar. Em Mateus 6.25-34 ele usa como exemplo o seu cuidado com as aves do céu e os lírios do campo: se ele cuida muito bem desses seres, quanto mais de nós! Ele sabe que nos ocuparemos com o que faz parte de nosso dia a dia, mas nos exorta a fazer isso na certeza de que ele proverá aquilo de que necessitarmos. 

Não sei de que forma você tem encarado as situações de sua vida. Deus quer ajudá-lo, para que você encontre segurança e tenha êxito naquilo que fizer. Se você ainda não entregou sua vida a Cristo, faça isso! Você vai descobrir que não há pessoa melhor para estar ao nosso lado do que o próprio Deus! – MP

Quem vive com Deus pode contar com sua ajuda em cada assunto de sua vida.

18 de dezembro de 2017

Leitura Bíblica: Mateus 1.18-23

Assim diz o Alto e Sublime, que vive para sempre, e cujo nome é santo: “Habito num lugar alto e santo, mas habito também com o contrito e humilde de espírito, para dar novo ânimo ao espírito do humilde e novo alento ao coração do contrito (Is 57.15).

Ele está entre nós. Jesus deixou claro isso quando disse antes de subir ao céu: “Estarei sempre com vocês” (Mt 28.20). Podemos confiar: Deus está conosco todos os dias. Em Mateus 1, quando José fica sabendo que Maria está grávida, resolve deixá-la de forma discreta para não difamá-la. Naquele momento aparece um anjo do Senhor para lhe explicar o que houve e instruí-lo a receber Maria. Suas palavras foram de grande conforto para José, que amava Maria e a tinha escolhido como esposa. Mas maior foi o conforto e a alegria dele quando ficou sabendo que o filho que ela esperava era o Filho de Deus. O anjo do Senhor disse que seu nome deveria ser Jesus, “porque ele salvará o seu povo dos seus pecados.” Disse também que Jesus seria chamado de Emanuel, nome de forma hebraica– “Emanu” significa “conosco” e “El” refere-se a “Elohim”, ou Deus. Deus conosco!
Jesus, nascido de Maria, gerado pelo Espírito Santo, foi literalmente Deus presente. Ele andou no meio do povo, alimentou-se, fez milagres e ensinou pessoas. Mas mesmo quando subiu aos céus não deixou de ser Deus presente. A presença de Deus, mais do que física, foi e continua a ser presença espiritual. Temos um Deus que não precisa estar presente de forma visível para ser visto. Ele sempre está entre nós, mesmo quando não sentimos sua presença. Deus não está distante, é Deus “conosco”, ele está com a gente. O Deus “Elohim”, Deus forte, poderoso, criador, transcendente, acima de todos os “deuses”, é o Deus que habita com o homem humilde e pecador. O Magnífico em toda terra é o “nosso” Senhor. Deus é o “nosso” refúgio e fortaleza, socorro bem presente nas tribulações (Sl 46.1). – HSG

Deus é nosso refúgio seguro; nele jamais seremos abalados.

17 de dezembro de 2017

Leitura Bíblica: Mateus 1.16-17

A vida se manifestou; nós a vimos (1Jo 1.2a).

O evangelho de Mateus começa com a genealogia de Jesus e, se você ler desde o versículo 1, verá que ele pertence à linhagem de Abraão e Davi, o que comprova que ele é o Messias. Trata-se de uma forma de apresentar o filho de José e Maria conferindo-lhe lastro histórico e messiânico. Ao final, Mateus enfatiza que José é o marido de Maria, de quem nasceu Jesus. Neste ponto (v 16), é como se o temporal encontrasse o atemporal: Jesus, filho de Maria (o temporal e humano), é chamado Cristo, palavra grega que significa Ungido e se originou da palavra hebraica para Messias (o atemporal e divino). Se você observar a genealogia do evangelho de Lucas (3.23-38), verá que ela é totalmente diferente: começa no próprio Jesus e retrocede até Adão e Deus, provavelmente desenvolvida a partir da linhagem de Maria, ressaltando o aspecto humano e divino de Jesus. 

De qualquer modo, a genealogia de Jesus mostra que a entrada de Deus na história humana se dá em um momento específico, trazendo o eterno para dentro do cotidiano. A genealogia de Jesus envolve todo tipo de gente, mostrando sua conexão com a realidade humana, que nem sempre (quase nunca!) é idealizada! Toda essa sucessão de gerações culmina na entrada de Deus no mundo, o Natal, que estamos prestes a celebrar! O eterno habitando o temporal. O Natal é isso, não é?! Deus saindo da eternidade e vindo fazer morada na temporalidade, fazendo-se igual a nós para nos reconciliar com ele e inserir-nos em sua própria história e linhagem eterna. Ele recebe-nos como filhos (sendo Jesus o primogênito), como parte da família da fé e participantes da sua própria natureza divina. O Natal é Deus nos buscando para tornar-nos plenamente seus. O amor nascendo e vindo a nós. É esse o Natal que vale a pena celebrar: o divino se fazendo humano, trazendo a nós, que somos temporais e humanos, a comunhão eterna e divina com o Deus de todas as coisas e de todos os tempos! – WMJ

Jesus dá significado eterno ao Natal.

16 de dezembro de 2017

Leitura Bíblica: 2 Tessalonicenses 2.13-17

Que o Senhor os faça compreender melhor o amor de Deus por vocês e a firmeza que ele, Cristo, dá (2Ts 3.5, NTLH).

“Deus o abençoe!” Quantas vezes ouvimos e expressamos este voto. Desejamos as bênçãos de Deus aos irmãos na igreja, a amigos e a familiares a quem queremos bem. Mas o que realmente queremos dizer com esta frase?

Na leitura bíblica de hoje, observamos Paulo dizendo seu “Deus os abençoe!” aos cristãos de Tessalônica. Como? Expressando seu desejo de que Deus encha o coração deles de ânimo, tornando-os fortes, dotados de coragem que não acaba e esperança firme. É isto que Paulo quer para seus irmãos. No começo do capítulo 3 ele arremata esse voto com o versículo em destaque: que o Senhor mesmo os faça compreender melhor o seu amor por nós. Ah, como precisamos disto! Na medida em que vamos caminhando com Cristo e compreendendo melhor o seu amor, ficamos fortes, firmes, com uma convicção que nos mantém no caminho certo mesmo sob pressões e diante de ventos contrários. Quando compreendemos melhor o amor que Deus tem por nós, o temor diminui, o companheirismo aumenta e a confiança só se fortalece. 

Na parábola que Jesus contou sobre o filho pródigo (Lucas 15), este volta para a casa e compreende que, apesar de tudo, o pai continua o amando e esperando ansiosamente por sua volta. Entende que permanece na posição de filho amado, e assim é recebido para desfrutar de todos os bens, mas principalmente da presença do pai. É assim que Deus nos ama e deseja que venhamos a entender e aceitar o seu amor. Deus nos amou tanto que não quis nos ver longe dele, numa terra distante e passando fome. Por isso, enviou Jesus Cristo para reconciliar a cada um de nós, por natureza desobedientes, com um amor incondicional. 

Que o seu próximo “Deus te abençoe!” também expresse este desejo: “que você compreenda cada vez melhor o amor de Deus”. – CTK

A melhor bênção que vem de Deus é poder desfrutar do seu amor.

15 de dezembro de 2017

Leitura Bíblica: Levítico 2.1-3

Quando alguém trouxer uma oferta de cereal ao SENHOR, terá que ser da melhor farinha (Lv 2.1a).

Quando lemos sobre os sacrifícios exigidos por Deus ao povo de Israel no Antigo Testamento podemos lembrar logo do que Cristo fez na cruz. É como se fossem um quadro de sua morte pintado com antecedência, facilitando o reconhecimento, mais tarde, de que o sacrifício de Cristo era necessário e foi definitivo. 

No versículo em destaque, vemos que a farinha deveria ser da melhor qualidade. Isso não lembra o fato de Jesus ter se apresentado como o Pão da vida? A pureza da farinha também lembra que jamais houve falhas no caráter de Cristo, plenamente sujeito ao Pai, sem qualquer mancha ou corrupção: perfeito! Além disso, quando lemos que os sacerdotes podiam ficar com o restante da oferta, podemos relacionar isso com o fato de que os que creram recebem os benefícios do sacrifício de Cristo: acesso ao Pai, perdão dos pecados e vida nova e eterna com ele.
O livro de Levítico demonstra a santidade de Deus em contraste com a pecaminosidade humana. Infelizmente, os israelitas transformaram as exigências divinas em rituais sem sentido, chegando ao ponto de Deus rejeitar sua adoração porque não havia qualquer arrependimento demonstrado nela.

E nós, que tipo de culto oferecemos a Deus? Estamos dedicando o que temos de melhor – nós mesmos? Deus quer que consagremos nossa vida a ele antes de qualquer oferta, culto ou serviço. Isso envolve reconhecer e arrepender-se de nossos pecados, pedindo perdão a Deus por eles; mudar a direção da vida, passando a seguir o caminho de Deus e entregando tudo em suas mãos. Você já fez isso? Se ainda não, hoje você tem a oportunidade de voltar-se para Deus e, por meio de Cristo, passar a viver com ele e para ele. Se você já é cristão, adore a Deus da melhor forma que puder! – MJT

O melhor que podemos oferecer a Deus é a nossa vida!

14 de dezembro de 2017

Leitura Bíblica: Apocalipse 3.7-13

Sei que você tem pouca força, mas guardou a minha palavra e não negou o meu nome (Ap 3.8b).

São 5h45. O alarme toca alto. O chuveiro é ligado, a TV entra em atividade, o celular é acionado. Depois disso: trabalho, cansaço, estresse. Passa o dia, a semana, o mês. E, nesse ritmo, foi-se mais um ano. O que realmente preocupa é o que acontece nesses anos, meses, semanas, dias, horas e minutos. O que foi cultivado nesse tempo? Quais foram as prioridades e os valores que regeram a vida? Mesmo sem nunca ter pensado no significado da palavra “valores”, eles estão aí, bons ou ruins, dirigindo a vida de todos.

A constatação é assustadora. Muitas pessoas passam por este mundo sem se preocupar com nada disso. Muitos dizem não ter tempo para autoavaliação. Apegam-se a suas carreiras profissionais, porém esta não é a vida. A resposta pelo sentido da vida não está nas universidades e nem na carreira profissional.

A vida centrada no “eu” é perigosa, mas é o que o mundo nos ensina. Desde a infância somos pressionados a vencer todas as competições, pois a lei do mais forte é a lei da vida, e não viver de acordo com ela resultará na aniquilação do indivíduo na sociedade. Aprendemos que o legado a ser deixado aos filhos são propriedades e bens materiais.
Em um de seus livros, Dallas Willard contou uma parábola do nosso tempo, sobre um piloto que fazia manobras em alta velocidade num caça de combate, quando acionou os controles para subir bruscamente, mas colidiu com o chão. Não se deu conta de que voava de cabeça para baixo.

Apesar da vida frenética do nosso tempo, precisamos estar atentos e observar como a Palavra de Deus nos orienta em relação à nossa conduta. É um conselho simples, mas vale ouro, pois somente ela pode nos impedir de voar de cabeça para baixo. – IM

Oriente-se pela Palavra de Deus para evitar colisões.

Facebook

Publicidade Google

Últimas Noticias

Agora os fãs de Leonardo Gonçalves já podem conferir em todas as plataformas digitais e no YouTube a nova canção do cantor. A composição se chama “Deus Sabe, Deus Ouve, Deus Vê” e faz parte do seu novo projeto musical.

Para o cantor este pode ser o trabalho menos comercial de sua carreira, no entanto, também pode ser considerado um dos mais refinados. O projeto busca em sua essência evidenciar canções que marcaram a trajetória do cantor.

“Esse single me acompanha desde que me conheço por gente. Em muitas situações de dificuldade foram estas palavras somadas a esta melodia que me trouxeram alento e me deram força para seguir adiante”, conta Leonardo.

 

“O mundo está cheio de pessoas que parecem ter solucionado todas as questões essenciais da existência, pessoas de bem com a vida, a quem as sombras parecem jamais atingir. Fico feliz por elas e queria ser uma delas. Mas enquanto não alcanço este estágio, sou grato por existirem músicas como esta”, salienta.

A música também ganhou um clipe com os músicos que são membros da Orquestra Filarmônica de Praga e Orquestra Sinfônica da República Tcheca. A gravação foi feita em Praga, na República Tcheca, no Rudolfinum, onde foram gravadas cenas do filme “Amadeus” e as cenas externas do filme “Floresta Negra”, na Alemanha.

 

 

Os fãs da Hillsong Worship já podem comemorar, pois o grupo está produzindo um novo disco chamado: “There Is More”. Conhecida como uma das bandas mais influentes do mundo, a equipe decidiu dar uma “palhinha” de como será o projeto e disponibilizou o single “Who You Say I Am”.

A produção completa será liberada no dia 6 de abril, mas a canção que abre a lista já está em todas as plataformas digitais. O single foi gravado ao vivo durante Hillsong Worship & Creative Conference em Sydney, Austrália.

Ao total o álbum vem com 12 músicas, incluindo uma nova versão de “So Will I (100 Billions X)” de Hillsong UNITED. Além disso, a produção já tem turnê programada e começa no mês abril, em 14 cidades da América do Norte. Para ministrar ao público, os shows contarão com o pastor sênior da Igreja Hillsong, Brian Houston.

 

“Há mais em jogo do que nos atrevemos a perceber: almas, comunidades, famílias e nações. Nossa liberdade pessoal é para o avivamento corporativo. Há mais de Deus e mais de Seu amor do que podemos conceber”, disse Brooke Ligertwood, da Hillsong Worship.

Faixas do disco:
1. Who You Say I Am
2. You Are Life
3. The Passion
4. God So Loved
5. Be Still
6. Remembrance
7. Valentine
8. Touch of Heaven
9. Lettered Love
10. The Lord’s Prayer
11. New Wine
12. So Will I (100 Billions X)

 

 

 

 

O popstar Justin Bieber está determinado a voltar às paradas com um álbum que tenha músicas “apropriadas para cristãos”. Isso volta a alimentar os rumores que ele estaria apostando em uma carreira gospel.

Em reportagem do jornal inglês The Sun, uma pessoa que trabalha com Bieber revelou que o quinto álbum do astro canadense poderá ser inovador. “Justin está à procura de músicas que realmente reflitam sua espiritualidade”, disse o homem, que preferiu não se identificar.

“Ele sempre foi religioso, mas nos últimos dois anos se aproximou da Igreja Hillsong e isso mudou toda a sua vida. Ele tem uma visão totalmente diferente agora.”

 

A fonte revelou ainda que “embora Bieber esteja trabalhando com muitas das mesmas pessoas que ajudaram a fazer seu último álbum, Purpose, está remodelando seu som, com letras mais de acordo com os valores e crenças da igreja”.

O quinto álbum de estúdio deverá ser lançado somente em 2019. Mas o artista já está selecionando as músicas. “Há temas como amor e redenção, mas a sonoridade segue nos trilhos do que ele criou até agora. Isso certamente surpreenderá os fãs”, acredita.

 

Bieber interrompeu sua última turnê, em meados de 2017, alegando que precisava “se dedicar a Cristo”. Desde então, foi fotografado dezenas de vezes ao lado do pastor Carl Lentz, da Hillsong NY, que o batizou. Também usou as redes sociais várias vezes para falar sobre sua fé em Jesus.

Também chama atenção que Selena Gomez, namorada de Bieber, fez um anúncio similar recentemente.

 

 

 

 

O apresentador Marcos Mion, da Record TV, tem se tornado uma das personalidades públicas que mais enfatizam o valor da família e a importância da fé para superar dificuldades. Uma publicação no Instagram resumiu a forma como ele tem difundido ambos os conceitos junto aos mais de oito milhões de seguidores na rede social.

Mion é casado com Suzana e juntos têm três filhos, sendo que um deles, Romeo, o primogênito, é autista. Em outras ocasiões, o apresentador já havia enfatizado a importância de manter a família unida e seguindo princípios.

 

“Todo filho tem que ver seu pai ajoelhar perante Deus. Acreditar em alguma coisa. Não só o exercício, mas a demonstração da fé molda o caráter dos pequenos que olham pra você com confiança em busca de exemplo de vida”, escreveu o apresentador, na legenda de uma foto em que sua filha, Donatella, o abraça enquanto ele está ajoelhado, orando.

Na reflexão compartilhada com seus seguidores, Marcos Mion destaca ainda que os filhos precisam entender que os pais se inspiram em algo maior que as próprias ambições: “Um dia eles crescem e descobrem que somos apenas… homens. Com falhas, medos e que, na verdade, não temos todo conhecimento do mundo e, muito menos todas respostas. É nessa hora que criar seus filhos sob a palavra de Deus, mostrando que você também se ajoelha perante Ele, vai fazer diferença!”, aconselhou.

++Família é plano de Deus, diz Marcos Mion

“Todo ser humano, uma hora ou outra, busca respostas para dúvidas maiores, acalanto para um sofrimento que só o abraço do pai não faz passar, entendimento para algo que não faz nenhum sentido, falta de perspectiva… a lista é enorme, e se ele não tiver Deus para buscar estas respostas, o caminho para drogas, depressão, violência, entre outros se abre”, acrescentou, em tom de alerta.

Em novembro do ano passado, Marcos Mion encorajou os seguidores a entregarem suas vidas a Jesus Cristo “o quanto antes” para que não sofressem com arrependimentos no futuro. Agora, o apresentador reforçou o conselho: “Se a criança cresce com Deus, cresce forte. Cresce com base sólida. E quem da esse exemplo somos nós. #FamilyFirst #Fé”.

 

 

 

 

Pela 1ª vez em pelo menos cem anos, integrantes do gabinete presidencial dos Estados Unidos participam de um grupo que toda semana estuda a Bíblia. Todas as quartas, algumas das pessoas mais poderosas do mundo se reúnem em uma sala de conferências em Washington para aprender e falar sobre Deus. 

O local dos encontros é mantido sob absoluto sigilo, por determinação do Serviço Secreto. Os nomes dos integrantes do grupo, contudo, não são considerados "segredo de Estado". 

O vice-presidente dos EUA, Mike Pence, o novo secretário de Estado, Mike Pompeo, a secretária de Educação, Betsy DeVos; o de Energia, Rick Perry, e o secretário de Justiça, Jeff Sessions, por exemplo, são alguns dos que estudam a Bíblia juntos. No total, dez membros do gabinete de Trump participam do grupo. Nem sempre vão a todos os encontros, mas aparecem quando não têm compromissos já firmados. 

As reuniões duram de 60 a 90 minutos e os participantes são guiados por um professor, com quem podem ter conversas privadas após as sessões coletivas. 

Esse professor, o homem responsável pelos ensinamentos ao grupo de estudos da Bíblia mais influente dos EUA é Ralph Drollinger, um ex-jogador de basquete que se converteu pastor. Ex-jogador do Dallas Mavericks, Drollinger, hoje com 63 anos, se define como "apenas um jogador com joelhos ruins". 

Drollinger cresceu em La Mesa, subúrbio de San Diego, na Califórnia. Quando criança, raramente ia à igreja. "Fui provavelmente umas doze vezes", diz ele. 

"Sempre me prometia ler a Bíblia. Mas toda vez que tentava, não fazia muito sentido para mim", diz o agora professor do seleto grupo de estudos da Bíblia. 

Foi no último ano da escola, depois de uma partida de basquete, que algumas animadoras de torcida o convidaram para estudar a Bíblia. Ele aceitou o convite e, desde então, Drollinger diz que o mundo dele mudou. 

"Foi a primeira vez que eu realmente ouvi a palavra de Deus. Fui pra casa, li todo o Evangelho de Mateus naquela noite e abri me coração para Jesus", conta Drollinger. 

Em 1972, Drollinger ganhou uma bolsa para jogar basquete e estudar na Universidade da Califórnia, em Los Angeles. Ele passou a frequentar a igreja e a assistir aulas sobre a Bíblia. Ao longo dos quatro anos que passou na universidade, Drollinger disse que se apaixonou pelas escrituras. 

Atleta de Cristo

Depois da faculdade, chegou a ser sondado por três times da NBA, mas acabou recusando todos. 

"Senti tanta paixão pelo ministério que tudo ficou sem graça", diz ele. Assim, em vez de aceitar convites de times como Boston Celtics ou New York Nets, ele assinou com uma equipe cristã chamada Atletas em Ação. Jogou basquete ao redor do mundo - em 35 países, contabiliza - e pregou o evangelho no intervalo. 

Donald Trump já mandou comentários e elogios escritos em letras de forma aos textos do professor que ensina a Bíblia a integrantes do gabinete presidencial  (Foto: Getty Images/BBC)

Donald Trump já mandou comentários e elogios escritos em letras de forma aos textos do professor que ensina a Bíblia a integrantes do gabinete presidencial (Foto: Getty Images/BBC) 

 

"Foi perfeito para mim", diz ele, emendando que não gostava tanto de basquete quanto de pregar. 

Drollinger, contudo, acabou virando jogador profissional. Entrou nos Dallas Mavericks em 1980, mas apenas porque queria ir para o seminário na cidade. Jogou seis partidas pela NBA e abandonou a principal liga do mundo depois de uma temporada apenas. 

Ao se aposentar do basquete, em 1996, trabalhou com esporte e migrou para a política. Mas o caminho de Drollinger até a Casa Branca começou na Califórnia. 

Em 1996, a mulher de Drollinger, Danielle, atuava como diretora executiva de um comitê político na Califórnia, que fazia campanha para eleger cristãos para ocupar vagas de legisladores liberais. Mas Danielle, segundo o marido, estava frustrada. "Eles [o comitê] ajudavam a eleger representantes para o capitólio (sede do governo e da legislatura) da Califórnia, mas logo eles perdiam os princípios cristãos", diz. 

Ela desistiu do trabalho e o casal assumiu a direção de uma igreja em Sacramento, onde passaram a oferecer encontros semanais a políticos e funcionários públicos para o estudo da Bíblia, além de apoio, orações e consultas individuas. 

Discípulos na política

Essa igreja e seus cursos deram certo. A Capitol Ministries cresceu e se expandiu, com a ideia de, segundo a própria página na internet, "fazer discípulos de Jesus Cristo na arena política em todo o mundo". 

Em 2010, a Capitol Ministries chegou a Washington, onde montou um grupo de estudos da Bíblia para membros do Legislativo, que hoje conta com cerca de 50 integrantes. Quando quatro participantes foram eleitos para o Senado, pediram aulas para outros senadores, que começaram em 2015. Em março do ano passado, dois meses depois de Donald Trump assumir a Casa Branca, o mesmo processo fez com que um grupo do gabinete presidencial passasse a ter aulas sobre a Bíblia. 

"Trump começou a nomear nomes que já estudavam a Bíblia na Câmara e no Senado", explica Drollinger, uma tendência que ele atribui ao vice-presidente Mike Pence, "que sabia quem eram os que realmente acreditam". Muitos dos indicados por Trump para fazer parte de seu governo, diz o "professor", tem algo em comum: "São todos fortes em Cristo". 

Assim, o secretário de Justiça, Jeff Sessions, e Tom Price, ex-secretário de Saúde, decidiram começar o grupo de estudos do gabinete presidencial. 

Secretário de energia, Rick Perry, e o de Agricultura, Sonny Perdue, também são integrantes do grupo que estuda a Bíblia (Foto: Getty Images/ BBC)

Secretário de energia, Rick Perry, e o de Agricultura, Sonny Perdue, também são integrantes do grupo que estuda a Bíblia (Foto: Getty Images/ BBC) 

Drollinger acredita ser este o primeiro do tipo em pelo menos 100 anos. Havia um grupo na administração de George W. Bush, mas era para representantes de escalões mais baixos. 

O presidente Trump não é integrante do grupo, mas é cristão e recebe as oito páginas que Drollinger prepara quase toda semana. "Ele me responde de volta, com anotações", garante o professor. "Ele usa uma caneta com ponta de feltro da marca Sharpie, com a qual ele escreve, em letras maiúsculas, 'Muito bem, Ralph realmente gosto desse estudo, continue assim' e outras coisas assim." 

Posições conservadoras

Os estudos bíblicos semanais de Drollinger não são privados ou secretos. Qualquer um pode lê-los online. 

As aulas da Capitol Ministries são ministradas apenas por pastores homens. Drollinger tenta justificar a ausência de mulheres ensinando as palavras de Deus: "Não há proibição [bíblica] da participação da liderança feminina no comércio, no Estado, sobre as crianças. Mas há proibição da liderança no casamento e na igreja. Isso está claro nas escrituras. Isso não significa que a mulher tem menos importância, apenas que têm diferentes papeis." 

 

Sobre casamento de pessoas do mesmo sexo, o professor escreveu: "Homossexualidade e cerimônias de pessoas do mesmo sexo são ilegítimas sob os olhos de Deus. A palavra Dele é repetitiva, perspícua [claramente expressa] e séria sobre o assunto." 

Ele defende o capitalismo, dizendo que direito à propriedade individual, "também conhecido como livre iniciativa ou capitalismo, é o sistema econômico governamental que conta com apoio das escrituras". "As escrituras não apoiam o comunismo", afirmou. 

Questionado se os políticos que estudam a Bíblia deveriam condenar gays à morte, Drollinger diz que não. Afirma que algumas leis civis que aparecem no Antigo Testamento não se aplicam. 

Drollinger se compara a um garçom em um restaurante. Essas lições não são dele, afirma. Diz estar meramente servindo a palavra de Deus, como revelada na Bíblia, aos cristãos professos. "Se Deus é o chef, então eu sou apenas o servo, e espero que as pessoas gostem da refeição", diz ele. "Mas na saída da cozinha, eu não vou alterar o que está no prato. Então, meu trabalho é apenas ser um servo." 

E se as pessoas não gostarem da mensagem que ele oferece? 

"Você vai ter que ir falar com o chef (Deus). A não ser que eu tenha alterado o que está no prato - o que, graças a minha disciplina, não faço. " 

Para o professor, a Bíblia ensina a separação entre Igreja e Estado. "Nós temos que diferenciar, mas infelizmente muitos grupos da direita evangélica advogam para não separar os dois." 

Misturando religião e política

Drollinger garante que nunca diz aos membros dos seus grupos de estudo como deveriam votar nem as políticas públicas que deveriam tirar do papel. Mas espera que isso fique óbvio ao transmitir os ensinamentos. 

E os alunos de Drollinger alguma vez já o deixaram desapontado? 

Ele diz que sim, quando "uma pessoa obviamente sabe qual a coisa bíblica a fazer e acaba votando contra o que sabe ser bíblico". 

Drollinger ainda mora na Califórnia, e vai à capital dos EUA semanalmente para as aulas, que normalmente ocorrem de segunda à quarta. Ele se define como um "republicano conservador". "Não acho que tem muita surpresa nisso", diz. 

A Capitol Minister é uma organização sem fins lucrativos, financiada por doações. Ele e a mulher recebem salário, mas diz que não fica com tudo. 

E como ele se sente ensinando a Bíblia em uma manhã de quarta-feira a algumas das pessoas mais poderosas do mundo? 

Ralph Drollinger responde: "Um dos sentimentos é: quem sou eu para estar aqui. Você sabe, tipo Moisés, quando este se questionava se era a pessoa certa. Sou apenas um atleta com os joelhos ruins, e aqui estou eu". 

"Mas, por outro lado, estou há 21 anos expondo a palavra de Deus, especificamente para que seja aplicada à vida de servidores públicos. Então, nesse sentido, sinto que sou o cara mais qualificado do mundo."

 

Fonte: BBC e G1

 

download pdf

 

133_11.jpg133_9.jpg133_8.jpg133_7.jpg133_6.jpg133_5.jpg133_4.jpg133_3.jpg133_2.jpg133_1.jpg133_10.jpg133_16.jpg133_15.jpg133_14.jpg133_13.jpg133_12.jpg

Próximos Eventos